JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

  A Parahat Sheminí  aborda quatro assuntos distintos: 1) O oitavo dia da inauguração; 2) A morte de Nadav e Avihu; 3) Leis de luto durante o serviço sacerdotal; 4) Lei dos animais proibidos.

 1) O oitavo dia era o dia da apresentação  das oferendas para que ao término a presença Divina se manifestasse.

2) A morte de Nadav e Avuhu (o mais importante episódio). Reparem que  Aharon no versículo 22 do capítulo 9, ergueu suas mãos em direção ao povo e o abençoou. Ele então desceu de onde ele tinha  preparado a oferenda de pecado, a oferenda-queimada e a oferenda de paz. (Versículo 23) - Moshé e Aharon entraram na Tenda da Reunião (e Moshé ensinou a Aharon como oferecer o incenso), e quando eles saíram, abençoaram o povo. A glória de D'us foi  então revelada para todo o povo.

 Notem que no relato anterior, no começo do capítulo 9, os filhos de Aharon eram sacerdotes assistentes. Tudo eles, passavam para as mãos de Aharon.

Obs.: Se eu sou  assistente, não posso querer fazer a vez do meu chefe. A menos que o meu chefe me ordene. Quem era o Sumo sacerdote?  R: Aharon. 

 Vejam que Aharon estava submisso as orientações de Moshé, e por usa vez seus filhos estavam submissos as orientações de Aharon.  E Moshé, submisso as  orientações de D'us.

O que deu nos filhos de Aharom? R: Ciume. Queriam ser como o pai, Sumo Sacerdote.

 O desejo já estava dentro deles. O vinho  apenas revelou, externou.

Vejam que foi só  Aharon  oferecer o incenso, conforme ensinamento de Moshé, para a glória Divina se manifestar.

Os filhos de Aharon também queriam ver a glória Divina se manifestar através do oferecimento de seus incensos. E como não  tinham coragem de fazer "de cara limpa", o vinho lhe deram coragem.

Porque que Chava pecou? R: Por que ficou  embriagada, e o seu desejo foi exposto, e, dando  também à seu marido ambos pecaram, fazendo o indevido numa hora inapropriada. 

Os filhos de Aharon foram consumidos, por que não  estavam autorizados a oferecerem incensos individualmente sem nenhum propósito. O oferecimento deles foi  por simples vaidade. Eles eram coadjuvante do sacerdócio. Estavam ali para servirem ao  Sumo Sacerdote.

O pecado deles foram: cobiça, ciume e insensatez.

D'us proibiu o sacerdote de beber vinho  para que não ficassem em desequilíbrio e sua mente não externasse desejos escondidos e sufocados pela conduta ilibada da sobriedade. E para não  por em risco sua função de intercessor do povo.

Desejar o lugar de outrem ou de querer se passar pelo outro e exercer função que não seja a sua, tem sido a discórdia tanto no mundo secular, como  no  mundo  religioso até os dias de hoje.

Não  posso estar numa sinagoga como  um simples membro, ainda que qualificado em alguma função  e querer ser igual ou fazer a mesma coisa que o Rabino sem sua autorização.

O que os filhos de Aharon  foram vistos na hora pelo Todo Poderoso, foi  a figura de impostores. Pois, não  estavam autorizados para queimar aquele tipo de incenso, para aquela hora. Só Aharon estava autorizado, sobre as orientações de Moshé. Ou seja; aquela era uma tarefa para o Sumo Sacerdote.

O vinho  aflora os nossos desejos mais íntimos. Cuidado !!!

Akiva ben Avraham.

Exibições: 22

Responder esta

© 2017   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço