JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

 Estamos agora em um período de luto, antes do dia de Tisha Be’av, no qual celebramos a destruição dos dois Templos Sagrados. Este Shabat é conhecido como Shabat Hazon – o Shabat da Visão. O Rabino Levi Itzhak de Berditchev nos ensina que se alguma pessoa é merecedora, esta irá receber neste dia a visão do Terceiro Templo.

Os textos litúrgicos da semana nos transmitem um aviso, pois este é o Shabat da Visão. Um Shabat no qual vemos claramente. Não entenderemos como surgirá o nosso renascimento e nossa redenção, se não entendermos o que é preciso mudar em nós para tornar esta visão uma realidade. Os avisos de nossos profetas decorrem da crença no potencial e poder de nosso povo. Somos julgados porque somos amados, talvez seja difícil de entender, mas através deste momentos que somos avisados do nosso verdadeiro propósito – um lugar cheio de luz e amor do mundo. Por isso, devemos ter fé na confiança que nos é concedida por D’us.

Pelo Rabino Yehoshua Ellis

Devemos mesmo reconstruir o Templo? Para que propósito? Estamos preparados espiritualmente para merecermos o construção  do Templo?  A Shechiná ira descer entre nós?

Nós ainda somos um povo desunido. Somos unidos como  nação, mas somos desunidos enquanto indivíduos. Sim, quantos correntes há no nosso povo?  Quantos grupos há no judaísmo? Quiem está mais de acordo com a Torá? Os ortodoxos? Os conservadores? Os reformistas? Os Charedim? Os caraítas? Quem?

Não  podemos esquecer a tradição. Mas podemos e devemos viver em cabanas nos dias de hoje? Sim, há gente que vive? podemos voltar ao passado? Sim e não? Sim, no pensamento,  e na arqueologia, mas não  na prática? 

Podemos usar camelos para a guerra? Podemos usar cavalos? Podemos usar arco e flecha? 

Podemos voltar a idade da pedra? Podemos viver  hoje como  se vivia na idade média?

O mundo não  evoluiu? As leis humanas não  evoluíram?

A Torá é a mesma. É um código de ética e de moral, funcionando  como uma "lanterna" na escuridão do mundo. O que é a Torá? A Torá é a Lei?

A Torá é a representação  da vontade do  Eterno para nós. A Torá é a instrução de como  devemos nos comportar.

A Torá nos diz como devemos nos relacionar com D'us. A Torá nos aponta para duas Leis: A Lei da vida, da alma.  E a Lei humana. A Lei da vida e da alma, é uma Lei fixa, imutável. Mas, a Lei humana  ou a Lei civil,  ela é flexível, pode ser mudada pelo tempo  e pelo espaço. Por que as pessoas evoluem no pensamento e na forma de viver.

Então, a Torá, no que concerne na visão da alma, não pode ser mudada. Mas, no que concerne na visão das Leis do deslocamento de tempo e espaço, elas podem ser reformadas.

A Lei civil deve se adequar ao mundo moderno.

Mas, como reconstruir o Templo se há visões distorcidas no modo de vida da nação judaica?

Se na diáspora o que vale é a força do poder, do dinheiro, da influência intelectual? As pessoas são discriminadas por serem negras, por serem pobres, de popuca cultura, ou de pouco poder financeiro? Quem eram os judeus da antiguidade? Eles eram negros, pardos ou brancos? Porventura não  eram negros? Morenos? Os semitas eram brancos?

Como poderá haver um Templo com tamanha discriminação? As minorias serão empurradas para fora? Só os ilustres (a olhos humanos) poderão ter acesso? Só os ricos? Só quem puder dar mais? Uma boiada? Uma manada de carneiros? E aquele que só puder dar uma pombinha? Ou uma rolinha? O  Sacerdote ignorará a oferenda do pobre, por que deu pouco? A reza (a beracha)  mais importante será para o rico? Faz HaShem distinção  entre um e outro? Entre pobre e rico? Não são  os dois pecadores? Não são  os dois filhos?

Não vemos hoje, que para a Aliá à Torá, sobe quem da mais? Quem só pode dar a sua kavaná não sobe?

Não faz o Yehudi, distinção entre o que é convertido e o que não  é? Não é o convertido discriminado?

Mesmo o converso sendo observado na sua comunidade local, não é barrado em outra? Não fazem diferenças entre rabinos e rabinos? Não são  todos judeus? Não são todos observantes da mesma Torá? E porque a Halachá é diferente entre as comunidades? Se a Torá é a mesma? Por causa do tempo  e espaço que são diferentes? Por causa dos costumes?

Não hora de reunir tudo numa mesma Halachá? Não se diz que o melhor caminho é o do meio? Não se diz que melhor é o equilíbrio? Qual é o caminho do meio?

Será que no Templo irá permanecer as divisões? Caraítas de um lado; Samaritanos de  outro; Conservadores, de outro; Reformistas de outro; Haredim de outro e Ortodoxos de outro?

Alguém poderá dizer: Somos um povo  de  muitas tribos? É assim que HaShem enxerga? Já perguntaram para Ele? Ou não enxerga Ele como um único povo ou um único homem? Como o homem Avraham?  Por que disse D'us: De ti farei uma grande nação. Das suas entranhas. E não foi  assim que aconteceu?

O Templo deve vir para unir. O Mashiach vem para unir. O Mashiach vem para derrubar as barreiras humanas.

Quem será o Sacerdote no Grande Templo? Arão? Não será Mashiach? Ou será Arão, reencarnando em Mashiach? O Mashiach será flexível ou inflexível? Irá ajuntar ou espalhar?

Antes da construção do Grande e terceiro Templo, é preciso que haja um consenso entre os líderes religiosos para unir o povo em volta da Torá e da Halachá. Acham que essa missão será a do Mashiach? Mashiach vem para fazer a purificação e estabelecer a paz entre todos os povos. Mas a casa de Jacó deverá estar arrumada. Cada um no seu lugar de  importância, porém, unidos num só objetivo.

No Egito, quando  José era Vice rei, colocou  os irmãos cada na sua posição de  importância diante da mesa do jantar. Porém todos estavam unidos e humildes diante do Vice rei. E todos se sujeitaram  ao que o Vice rei fazia e falava. Assim será na era do Mashiach. No encontro de José o Vice rei com seus irmãos, quem provocou o encontro? Não foram os irmãos na sua investida ao Egito à procura de alimentos?  Assim será na vida do Mashiach. Temos que provocar o  encontro. E o encontro será através da construção do terceiro Templo. Mas, para que haja o encontro é preciso que estejamos sujeitos ao Mashiach. É preciso que estejamos prontos.

Ness Shabat Chason, reflitamos o que precisamos mudar em nós para o  encontro com o Mashiach antes da construção do Grande Templo. Precisamos mudar o conceito com relação  ao  nosso próximo e tratá-lo de forma igual. José Vice rei do Egito, colocou  cada um  no  seu lugar de importância, sem discriminar ninguém. Beijou e abraçou a todos. Mesmo tendo cada um seus defeitos. Por que Mashiach vem para todos.

Quem depois deu a cada um segundo suas obras , foi Jacó, representando o julgamento Divino, o julgamento de D'us.

Shabat Shalom !!!

Exibições: 11

Responder esta

© 2017   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço