JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Judiaria de Santa Marinha, na Serra da Estrela
Jayme Fucs Bar
Na Serra da Estrela, existe hoje uma cidade que se chama Seia, e em volta dela há pequenas aldeias com uma forte e impressionante presença judaica cujas origens, muitos acreditam datar ainda dos tempos dos romanos.
E viajar para essa região você pode entender a frase muito comum do ditado popular: “a onde Judas perdeu as botas”, pois realmente esse local durante muitos séculos era de difícil acesso; ali os judeus comercializavam lã e carne em toda região.
O que se pode observar nessas aldeias é o tipo de arquitetura muito típico de casas judaicas, e isso se torna visível com a grande quantidade de cruciforme encontrado nessas pequenas aldeias e os registros de mais de uma centena de processos do Tribunal do Santo Oficio, onde a grande curiosidade é de um dos processos inquisitórios dos mais antigo já encontrado; o famoso caso do médico e físico Mestre Rodrigo de 1541.
O interessante que o pesquisador Alberto Martinho da Universidade Católica de Viseu acredita que essa região seja “a verdadeira capital do judaísmo em Portugal”. Ele descobriu cerca de 635 casas judaicas no concelho de Seia. Só na aldeia de Santa Marinha foram 46 casas judaicas, e acredita-se que possivelmente a população judaica nessa região foi em tempos remotos bastante expressiva.
Na minha eterna curiosidade sobre esse tema hoje fiz um percurso que realmente recomendo a todos aqueles que desejam conhecer não somente judiarias, mas também o esplendor que é a Serra da Estrela! Viajei de Belmonte em direção a Seia, subindo a serra da estrela por Manteigas.
E meu objetivo era chegar à aldeia de Santa Marinha que são 86 quilômetros de viagem, mas nada cansativo devido às mágicas paisagens que a Serra da Estrela nos oferece e se concretiza na chegada de uma aldeia meia esquecida, com ruas quase desertas, e como sempre acontece nessas viagens, são os encontros do acaso com os aldeões.
Dessa vez encontrei uma única pessoa a caminhar de um lado para o outro a fazer seus afazeres; eu o paro e pergunto a onde fica a judiaria, e ele olha e me responde:
“aqui não tem mais judeus, mas no passado todas essas casas eram dos judeus. Quando os judeus viviam aqui todas essas casas eram muito bonitas, mas veja hoje como está tudo bastante abandonado”.
O aldeão larga seus afazeres e me leva a caminhar para ver a aldeia, e depois me diz:
- O senhor é israelita?
- Digo sim!
- Ele diz: Graças a Deus! Os judeus são um povo Bendito!
Se despede e volta aos seus afazeres.
Saio em direção à estrada; já era um pouco tarde para conhecer outros lugares dessa região que entendo ser necessário passar alguns dias por aqui, e talvez semanas, pois existe a sua volta uma vastidão de aldeias e lugarejos pequeninos marcados pela presença judaica, eu conheci hoje a aldeia de Santa Marinha, mas ainda volto para conhecer: Valezim, Torroselo, Vila Cova à Coelheira, Casal, Carvalhal, Alvoco da Serra, São Romão, Loriga, Sandomil, Paranhos da Beira, Lajes, Vide, Póvoa Velha, Póvoa Nova, Vila Verde e Tourais, entre outras.
Já subindo a serra de volta Belmonte, não parei de pensar nas palavras desse simples aldeão: “Graças a Deus, os judeus são um povo Bendito!”.
E penso, de onde veio isso? Eu sei que ele não era judeu, mas acho que ele tem alma Judaica!
SHABAT SHALOM!
Fontes:
https://www.redejudiariasportugal.com/ind.../pt/cidades/seia
https://rr.sapo.pt/.../investigador-defende-que.../158166/

Exibições: 56

© 2022   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço