JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Muitas vezes judeus, e não judeus me questionam e se manifestam muito contrario a minha forma de como pratico e creio no meu judaismo e de como manifesto a minha propia Emunah.
As vezes parece até ridiculo de alquem achar que somente no que ele acredita é a " Verdade absoluta" e a sua Emunah e as outras existente no mundo são enquadradas como: Pecaminosas ou hereges, etc... por isso, resolvi escrever este pequeno texto sobre emunah, para que talvez ajude a certas pessoas a esclarecer sobre esse direito legitimo de ter emunot diferentes!
Uma vez, um amigo me disse: "Eu não acredito em Deus".
Fiquei curioso e perguntei: "O que você quer dizer, na sua emunah, em não acreditar em Deus? Ou melhor: fale sobre esse Deus em que você não acredita!”.
Ele, meio inibido, me respondeu: "Eu não acredito em um Deus sobrenatural, um pai que vive no céu, que criou o mundo em sete dias, que o universo tem somente 5 mil anos e que tudo que acontece neste mundo é responsabilidade divina".
Dei uma grande risada e disse: “Nesse Deus que você descreveu para mim, eu também não acredito! Mas isso não quer dizer que eu não acredito em Deus! Respeito também todos aqueles que têm uma emunah em Deus diferente da forma que eu acredito!”.
A emunah é um direito de cada um. Jamais devemos julgar a emunah do outro, pois ninguém tem a verdade absoluta. Cada um possui o direito de manifestar sua emunah da forma que desejar, mesmo que seja de forma diferente do que você pessoalmente acredita.
O judaísmo sempre foi muito rico nas suas diversas manifestações da emunah! O pluralismo é o que faz o judaísmo ser um tesouro de diversidade e sabedoria! Se você é agnóstico, panteísta, transcendental ou acredita no Deus Sobrenatural, ou mesmo se tem emunah no ateísmo, tudo bem! Tudo isso é legítimo!
Se você é ortodoxo, tradicionalista, caraíta, reformista, conservador, humanista, liberal, reconstrucionista, cabalista, Bnei Moshe, secular, etc... Todas essas correntes são legítimas no judaísmo e devem ser igualmente respeitadas.
Na minha emunah, o judaísmo não é somente uma religião: é algo muito mais amplo que uma simples crença religiosa. Talvez a melhor forma de definir o judaísmo na minha concepção é aquela ensinada por Mordecai Kaplan, que definiu o judaísmo como civilização !
Não importa o tipo de emunah que você tenha, o mais importante no judaísmo é o que você vai fazer em sua vida para si e para o outro. Não tem nenhum sentido somente em possuir uma emunah em Deus se você não tem emunah também nos seres humanos.
Na minha opinião, uma regra básica deve existir para a sobrevivência do judaísmo, que é saber respeitar o direito do "outro" de manifestar sua emunah, mas isso exige uma só condição básica: que essa emunah não se torne nunca uma arma de opressão e de exclusão do direito do "outro" existir e ser diferente.
Eu pessoalmente me defino como judeu panteísta. Eu acredito no Único e tenho a consciência de que, como bem definiu Maimônides, “nós, seres humanos, estamos além da possibilidade humana de definir o que seja Deus e tudo que possamos definir sobre Deus não passa de simples especulações humanas".
Eu acredito que tudo que existe neste universo é parte da criação do Único, somos todos partes dessa unicidade e, se desejamos sentir o que vem a ser esse esplendor, devemos observar que Deus se manifesta na Natureza e em nossas próprias paixões!
Deus é a perfeição e o equilíbrio. A única coisa desequilibrada na criação do Único somos nós, seres humanos, que ganhamos o livre-arbítrio e o usamos, muitas vezes, de forma incorreta e destruidora para nossa própria espécie.
Vocês não precisam concordar ou discordar de mim, essa é a minha emunah e a beleza disso é que teríamos milhares de formas e expressões diversas e extremamente ricas, se fosse possível analisar o que cada um de vocês tem como sua emunah particular.
Na minha emunah, Deus não é responsável pelos problemas da humanidade e do planeta terra. Deus não é responsável pela fome, pela miséria e pela violência degenerada no mundo, nem mesmo pela destruição ecológica do planeta. Nós, seres humanos, temos a função de ser responsáveis por humanizar nossas vidas e saber valorizá-la. Precisamos saber fazer da vida o "Kodesh Hakodashim ", o Santo dos Santos! Tudo isso está nas nossas mãos e não nas mãos de Deus.
Existe um conto judaico que nos ajuda a entender esse conceito de emunah.
Conta-se que existia uma família judia muito pobre que fugiu dos pogroms na Polônia para a América. Como imigrantes recém-chegados, quase não tinham o que comer e rezavam muito pedindo um milagre. De repente, ouviram uma batida na porta e, ao abrir, encontraram dezenas de pessoas.
"Quem são vocês?" Perguntou o pai.
Cada um dos visitantes se apresentou: "Eu sou a fé. Eu sou a felicidade. Eu sou a saúde. Eu sou o sucesso. Eu sou o poder”.
A família, sem entender nada, foi esclarecida num coro único:
"Nós somos os seus desejos! Mas, vocês só podem escolher um de nós para entrar em sua casa”.
Os membros da família debatiam o que seria melhor: sucesso ou saúde? Felicidade ou poder? Alegria ou riqueza?
No final, tomaram sua decisão. Eles saíram de casa e falaram aos desejos:
“Nós escolhemos a emunah”(fé).
E assim a emunah entrou na casa. Então, todos ficaram surpresos, pois os outros desejos entraram junto com ela!
"O que está acontecendo aqui?". O pai ficou espantado. "Vocês disseram que nós poderíamos escolher apenas um desejo”.
"É verdade que vocês só poderiam escolher um só desejo", explicou a alegria. "Mas aonde a fé vai, nós vamos atrás”.
O judaísmo é composto por emunot diferentes! Você tem o direito de seguir sua emunah e ninguém tem o direito de te atrapalhar. Se você seguir sua emunah, com certeza terá uma grande chance de ter seus desejos e sonhos realizados.
Shabat Shalom!

Exibições: 42

© 2022   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço