JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Esse Pessach , me fez lembrar de uma passagem que aconteceu a uns 3 anos atrás, e esse relato que vou contar veio do Avi um vendedor de sucos de frutas na entrada da pequena cidade de Tzfat.

Avi é uma pessoa muito conhecida na cidade, não tem ninguém que possa entrar na antiga cidade de Tzfat, sem passar pela barraca de suco do Avi , que se orgulha sempre em dizer que foi o motorista pessoal do general Ariel Sharon na guerra de Yom Kipur.

Avi vem de uma família de varia gerações em Tzfat e sempre que chego com turistas a primeira coisa que faz é me dá um Abraço e me convidar para tomar o seu especial suco de romã, às vezes quando tenho um intervalo sempre vou ao encontro do Avi para uma boa conversa.

Em um desses encontros me recordo que era pessach é Avi fez uma pergunta que ele mesmo respondeu : “Porque a Hagadá de Pessach começa com estas palavras? Este é o pão da aflição que nossos ancestrais comeram no Egito.
Deixe que todos os famintos venham e comam“.

Com essa frase Avi tentou se aprofundar e me disse: " A forma mais significativa de comemorar o Pessach é você saber ajudar alquem que necessita!”

E para entender melhor sua mensagem, ele me contou uma linda e humorada anedota, bem típico da cultura local de Tzfat, que aconteceu em Pessach que quero compartilhar como Voces:

A muitos anos atrás em Tzvat , onde moravam um casal de velhinhos muito pobres, e era véspera de Pessach, e eles não tinham dinheiro para comprar as coisas básicas para o seder, mas Menachem teve uma ideia de como resolver esse problema.

E disse a sua mulher Rebeca:

" Sabe o que vou fazer para resolver o nosso problema vou escrever uma carta a Elokim" E assim fez!

" Querido e adorado Elokim, O Todo Poderoso o Único venho por meio desta carta, te pedir sua ajuda para que possamos realizar o nosso seder de Pessach na qual necessitamos que você possa nos ajudar a consequir 300 shekalim para comprar as coisas básicas de nosso Pessach. Elokim! Espero que com tantos pedidos, você tenha tempo de ler nossa carta e se possível nos ajudar. Saudações! Menachem “

Menachem feliz da vida, pegou a carta botou no envelope e colocou na caixa do correio. O carteiro na hora de entregar a carta viu que não tinha nem selo e nem endereço e achou graça que o destinatário estava escrito “Elokim.”

O funcionário sem saber o que fazer com carta levou para o chefe do correio de Tzfat, que abriu e leu e sorriu e teve uma boa ideia reuniu todos os 3 funcionários e pediu para que cada um junto com ele ,pudessem fazer uma pequena doação para ajudar o Pessach de Menachem, e assim fizeram consequiram ajuntar 270 Shekalim, colocaram num envelope e o enviaram para o endereço de Menachem.

Ao ver carta Menachem gritou para mulher “ Venha ver Rebeca! Elokim respondeu o nosso pedido”, mas quando abriu a carta viu que tinha 270 Shekalim e não 300 Shekalim.

Menachem olhou para Rebeca e disse: “ Hum… Com certeza os 30 shekalim que está faltando, Elokim teve que pagar o imposto sobre o serviço ao governo”

Dei um grande sorriso com a boa anedota do Avi que me disse:

"Talvez Menachem jamais vai saber que ajuda que recebeu não veio diretamente de Elokim, mais o ato de ajudar alguém que necessita é um ato divino e sagrado"!

Chag Pessach Sameach!

Exibições: 3

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço