JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Segundo Michael Laitman: "É impossivel obtermos qualquer tipo de conhecimento,sem fazer o esforço para obtê-lo.Isso, por sua vez,dá lugar a duas consequências: a conscientização da necessidade de conhecimento,que é proporcional aos esforços empregados para adequiri-lo,e a compreensão de que a responsabilidade de adeqiri-lo é nossa."Muito bom ver as fotos de coexão com Shabat ! Shimon

Exibições: 47

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de Paulo Blank em 13 setembro 2009 às 18:39
Caros Jayme e Shimon.
Vejo que que cometi um engano. Me dirigi a Shimon como se fosse Michael Laitman. Mesmo sem conhecer este cabalista( termo que precisa ser visto com cuidado no mundo de hoje) e acompanhando o pensamento exposto pelo Jayme,é preciso lembrar que Cabalistas como Yosef Iben Chiquitilla( precursor do Zohar de Moshe de Leon) não buscavam um tipo de conhecimento "secreto"( isso no sec 12,plena idade média )Buscavam,isto sim, influenciar o equilibrio das forças cósmicas pela prática das mitzvot no mundo real. Conectado tanto a si mesmo pelo equilibrio de suas qualidades humanas( as sefirot o que sào?) quanto ao próximo e à arvore da vida pelo exercício dos preceitos da Torah, neste processo unificador buscava-se o acerto do mundo o Tikun Olam( a cabala de hoje confunde este conhecimento com auto-ajuda e psicologia).
Na ação real traduzida por Chiquitilla na relação amorosa do casal, exercitava-se o conhecimento do outro seguindo o principio de Adão conheceu Eva. Conhecimento da humanidade do outro onde o sexual faz parte e ponte. Conhecimento que construíria o caminho do Justo: pessoa que busca através do mundo existente alcançar o mundo que pode vir a acontecer/olam ha bá chegando desta maneira a influenciar o divino.O todo do mundo.
Rav Yosef Iben Chiquitilla,ou Guikatilla,escreveu um livro clássico"Igueret Hakodesh", onde fica claro que o o esforço espiritual tenta criar condiçoes capazes de trazer o tempo da paz messiânica. Seu objetivo final era construir uma educação onde filhos criados por pais dentro desta ética do relacionamento povoariam o mundo de Tzadikim/Justos que,por sua vez,também praticariam o "conhecer" do outro como principio. Mundo onde o estudo da Torah não seria um fim em si mesmo, como acabou se difundindo em certa ortodoxia judaica, mas meio de construir um mundo melhor. Relembrando o Rabino Israel Salanter ( sec 19Lituania) "as necessidades materiais do outro são as minhas necessidades espirituais". .
É sempre bom recordar que na tradição judaica existe uma séria advertência a todos aqueles que buscam conhecer o incognocível e se perdem em espiritualidades que o afastam do mundo real.Shalom a todos
Comentário de Jayme Fucs Bar em 13 setembro 2009 às 16:08
Caro Shimon,
Concordo com as palavras desse grande Cabalista o Rav Dr. Michael Laitman, porem o que realmente se refere com a palavra "conhecimento"?
No meu entender ele se refere a "sabedorias", ele fora de ser um grande Cabalista é também um grande crítico social, onde essa falta de "esforço" e "consciência" a 'sabedoria" , faz parte da crise que vem percorrendo no momento a Humanidade.
Ele critica severamente o individualismo, e o egoísmo humano como uma das causas a essa "crise da humanidade" onde conclamou no fórum das Culturas em Monte Rey no México "A crises da humanidade se expressa no egoísmo, se expressa em que o ser humano quer mais coisas para seu corpo, para seu orgulho, e deseja dominar tudo para si,e quer saber mais que o outro, e quer ter todo o controle somente para si, e quer ordenar tudo e todos para seu beneficio. A enfermidade do egoísmo é a depressão, é o sentimento que não existe um sentido maior na vida” …
Comentário de Paulo Blank em 13 setembro 2009 às 14:13
Caro Michael,concordo com todas as tuas palavras. O conhecimento pret a porter é facil mas não frutifica.Creio que também a alegria de estar juntos faz parte de um esforço de romper o isolamento e buscar aproximação no mundo real. Até memso a propia alegria, talvez precise de um pouco da decisão de lhe abrir caminho para que se manifeste. O resto é pura ilusão da qual o judaísmo nunca compartilhou. Esperamos outros momentos iguais para que mais pessoas se juntem a nós no mundo real.Um forte abraço e Shaná Tová.

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço