JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Somos todos iguais? - uma reflexao sobre a volta de Guilad Shalit e Hashomer Hatzair

O sociólogo Max Weber, em suas obras, analisava a realidade social a partir de um recorte, ou seja, de todo o cenário possível de ser analisado, de todos os fatores que implicam nesse cenário e de todas as consequências que sao resultados dele, só podemos estudar um recorte ,que não explica tudo. A partir dessa teoria, como exemplificarmos o valor simbólico da troca do soldado Guilad Shalit por 1027 prisioneiros árabes? Quais as consequências práticas, desse entendimento de que somos superiores? Há varias maneiras de explicar como e porque o governo de Israel finalmente aceitou a liberação de presos com o objetivo de retornar Guilad para casa.
Demétrio Magnoli, num artigo escrito para o jornal O Globo, fez um breve comentário sobre como as atitudes de Bibi (Netanyahu, primeiro Ministro de Israel) estão levando a decisão de criar um Estado palestino para um campo ideológico já existente, e preconizado por Jabotinsky. Segundo Magnóli, a crença de que a única maneira de manter a existência de um Estado judaico e democrático é a partir da criação de um Estado palestino . Não com objetivo de garantir um Estado para uma nação, como um dia já foi votado para nós numa assembléia da ONU ,e sim como mais um passo em direção ao revisionismo de Zeev Jabotinsky.
O Hashomer Hatzair por sua vez, em algum momento da sua luta ideológica, já defendeu a criação de um Estado binacional, para os judeus bem como para os árabes palestinos. "No sexto encontro do Kibutz Artzi, em 1942 realizado no Kibutz Mishmar Ha'Emek, o Hashomer pleiteava um sistema governamental de paridade sem levar em conta a disparidade numérica existente entre ambas nações. O Estado estaria fundado numa cooperação mutua entre os trabalhadores judeus e palestinos."*
Naquela época, essa posição frente a criação de um Estado Judaico era pioneira e os participantes do movimento acreditavam que era a única que se encaixava dentro dos padrões ideológicos. Hoje em dia, após algumas decepções quanto a organizações políticas palestinas que pudessem sustentar essa mesma posição, não nos colocamos do mesmo modo a cerca da mesma idéia, acreditamos numa necessidade do estabelecimento de um Estado Palestino pois somos todos iguais e temos os mesmos direitos, perante a ONU, os EUA, e sobre tudo perante nós mesmos.
O Estado de Israel se responsabilizar pelo Guilad Shalit e se preocupar em trazê-lo para casa é uma obrigação. Devemos nos alegrar pela boa hora em que as negociações acontecem, nos solidarizando com a família que esperou durante mais de 5 anos. Porém como membros do Hashomer Hatzair, agentes de transformação da sociedade, e pioneiros por uma comunidade que consiga defender a igualdade entre os seres humanos, sejam eles palestinos, iranianos ou filipinos e a fim de mantermos coerência com esse pensamento, não podemos defender que a vida de um judeu vale mais que 1000 prisioneiros.

*Morris, Benny, One state, two states: resolving The Israel/Palestine conflict. Yale University Press, 2009.

Exibições: 120

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de roberto carvalho em 11 dezembro 2011 às 23:23

a vida de um judeu vale muito mais do que vc possa pensar. o problema é que filosofar ou criar prosetilismos politicos e sociológicos é facil , so, que os mesmos ao mesmo tempo que trazem confusão e desorganização traz o que de pior pode  existir que é a insenssibilidade, haja vista, que GUILAD SHALIT ficou 5 anos longe de sua familia, ansiosa e sem uma resposta real quanto a possibilidade de que ele poderia sair vivo dessa situação. Então meu caro neste caso levando-se em consideração a familia do soldado, as emoções de varios corações que batem em pessoas normais aliado ao fato que estamos lidando com terroristas e uma campanha antessemita em nivel internacional, sómente esses ingredientes ja são suficientes , explicam e autorizam a troca que foi feita. Usemos a razão para percebermos que um segundo holocausto esta sendo preparado e a volta de GILAD SHALIT foi uma resposta firme, dificil mas decisiva e inteligente, porque se não valorizarmos a vida  de nossos proprios soldados e irmãos que moral teremos para justificar nossas ações e intervenções tão necessárias a nossa sobrevivencia e a sobrevivencia do estado de ISRAEL.

SHALOM

OBS: NA ATUAL SITUAÇÃO TEMOS QUE SER PRATICOS LEVANDO-SE EM CONSIDERAÇÃO O TIPO DE GENTE COM QUE ESTAMOS LIDANDO E A GRAVIDADE DO MOMENTO. DECIDIR SEM PESTANEJAR PRIORIZANDO OS JUDEUS E O ESTADO DE ISRAEL . DISCURSOS, FILOSOFIAS E TEORIAS TECNOCRATAS NÃO NOS LEVA A NADA, SOMENTE DESAGREGA E É ISTO QUE O INIMIGO QUER. ALIS OS INIMIGOS, TENDO EM VISTA QUE O MOVIMENTO ANTESSEMITA É GLOBAL. VAMOS NOS MANTER UNIDOS E COESOS ATÉ PORQUE A HISTORIA NOS ENSINA QUE FOI ATRAVÉS DA UNIÃO QUE NOSSOS ANTEPASSADOS SOBREVIVERAM E VENCERAM GUERRAS ESPETACULARES.

ESTA É UMA CRITICA FRATERNA NO SENTIDO DE AGREGAR , POR FAVOR ENTENDAM ASSIM.

Comentário de Jayme Fucs Bar em 7 dezembro 2011 às 16:47

Shalom Rodrigo, 

Que  satisfacao  em  escutar a voz de voces jovens do Hashomer do RJ !

Demorou muito mais finalmente chegaram, que sejam Bem Vindos!

Sera de uma grande importancia para todos, que vcs saibam aproveitar esse espaco do JH ,para participar  sobre  suas ideias, concepcoes e a experiencia pratica do Movimento Juvenil  Hashomer Hatzair.

Espero que vcs possam trazer para esse site muitas discucoes, dilemas e acoes.!Com certteza podera ser um processo rico para todos nos!

Agradeco a publicacoes dos textos! 

Chazak Vematz ! 

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço