JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

A sabedoria popular judaica afirma que a religião judaica é uma religião sem teologia. O que significa que ela tem pouco a dizer sobre Deus, uma realidade que é incognoscível. Capítulos 25-31 do Êxodo são um bom exemplo não só de como esta afirmação é discutível, mas também a forma como pensamos sobre Deus evolui.

 

Dois objetos de culto, o "Aron" e o "Tabernáculo" dominam o início da religião de Israel. Esses objetos são tão importantes que nos primeiros cinco livros da literatura fundacional fala mais deles do que qualquer outro assunto. Isso levou alguns teólogos a comentar que Deus criou o mundo em seis dias, mas usou quarenta para instruir Moisés no Tabernáculo. Demorou pouco mais de um capítulo para descrever a estrutura do mundo, mas usou seis para o Tabernáculo.

 

O "Tabernáculo" é uma tenda-santuário onde  Deus "acampa" (mora) no meio de Israel no deserto. Em termos mais contemporâneos, o verbo hebraico-sh kn "acampar", poderia ser traduzido como "estar presente".

 

Tem que ter em conta que, afastando-se do Monte Sinai, onde Deus se encontrou e fez um pacto com ele, as sabedoria da época tinha, de que eles teriam se distanciado de Deus. Os deuses, nas mentes das pessoas, governavam territórios limitados e específicos.

 

Tendo o Mishkan (Tabernáculo) servindo como um símbolo visível da presença de Deus no meio de Israel enquanto se moviam em direção da Terra Prometida, a nova religião de Israel partiu radicalmente dos padrões estabelecidos. A morada divina não era mais um lugar fixo, mas agora era onde estava Israel.

 

A ideia do "Tabernáculo" é que o Deus transcendente de Israel está presente no seu santuário. "Presença" não implica necessariamente a necessidade de pensar antropomorficamente, ou seja, atribuir forma humana para Deus. (Mesmo um conceito que enfatiza a manifestação divina pode conceber esta presença em termos abstratos.)

 

No entanto, como observou o falecido teólogo francês Samuel Terrien, antigo Israel não era de uma opinião. O TaNakh faz duas afirmações teológicas diferentes; Uma delas é a presença através do espaço e a outra da presença ao longo do tempo. Em uma Deus habita no Tabernáculo na outra, Ele aparece ocasionalmente na nuvem sobre o tabernáculo.

 

Muito mais tarde na história de Israel, a paixão que que tem "entronizado" Deus na terra, em santuários como o Tabernáculo foi superada pela reflexão sóbria encontrada em 1 Reis 8: 27:

 

" Mas será que Deus pode habitar, de fato, na terra com os seres humanos? Os céus, mesmo os mais longínquos, não podem circunscrever-te. Incomparavelmente menos esta Casa que construí"

 

Ao longo das páginas do Tanakh, você pode-se ver uma mudança de percepção sobre a natureza de Deus e como Deus interage com Israel. Nada no judaísmo, requer a aceitação de uma concepção de Deus cristalizada- um dogma- uma razão pela qual as percepções sobre a presença de Deus não pode ficar mudando.

Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço