JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Fatalidades árabe-israelenses no 49º Lugar no Mundo por Gunnar Heinsohn e Daniel Pipes

Original em inglês: Arab-Israeli Fatalities Rank 49th
Tradução: Joseph Skilnik

O conflito árabe-israelense, diz-se freqüentemente, não só por extremistas, ser o mais perigoso do mundo–e, de acordo com isso, Israel é tido como o país mais agressivo do mundo.

Por exemplo, o primeiro-ministro britânico Tony Blair disse ao Congresso norte-americano em julho de 2003 que "O terrorismo não será derrotado sem a paz no Oriente Médio entre Israel e a Palestina. É aqui que o veneno é incubado. É aqui que o extremista pode confundir na mente de um número assustadoramente grande de pessoas o argumento para a criação de um estado palestino e a destruição de Israel". Este ponto de vista leva muitos europeus, entre outros, a ver Israel como o país mais ameaçador do planeta.

Mas isto é verdade? Está estampado na face o famoso padrão de que as democracias liberais não agridem; ela assume, injustamente, que o conflito árabe-israelense está entre o mais caro em termos de vidas perdidas.

A fim de colocar as fatalidades árabe-israelenses no seu próprio contexto, um dos dois co-autores, Gunnar Heinsohn, compilou estatísticas para classificar os conflitos desde 1950 pelo número de mortes humanas ocorridas. Note como bem abaixo na lista encontra-se o lançamento das letras em negrito.

Conflitos desde 1950 com mais de 10.000 Fatalidades *

1

40.000.000

China Comunista, 1949-76 (matança total, escassez causada pelo homem, Gulag)

2

10.000.000

Bloco Soviético: final do Estalinismo, 1950-53; pós-Stalinismo, até 1987 (principalmente o Gulag)

3

4.000.000

000 Etiópia, 1962-92,: Comunistas, fome artificial, genocídios

4

3.800.000

Zaire (Congo-Quinshasa): 1967-68; 1977-78; 1992-95; 1998-até o presente

5

2.800.000

Guerra da Coréia, 1950-53

6

1.900.000

Sudão, 1955-72,; 1983-2006 (guerras civis, genocídios)

7

1.870.000

Camboja: Khmer Rouge 1975-79; guerra civil 1978-91

8

1.800.000

Guerra do Vietnã, 1954-75

9

1.800.000

Afganistão: Matanças Soviéticas mutuamente destrutivas e do Taliban 1980-2001

10

1.250.000

Massacres do Paquistão ocidental no Paquistão Oriental (Bangladesh 1971)

11

1.100.000

Nigéria, 1966-79 (Biafra); 1993até o presente

12

1.100.000

Moçambique, 1964-70 (30,000) + depois da retirada de Portugal 1976-92

13

1.000.000

Guerra Irã-Iraque 1980-88

14

900.000

Genocídio em Ruanda, 1994

15

875.000

Argélia: contra a França 1954-62 (675.000); entre islâmicos e o governo 1991-2006 (200.000)

16

850.000

Uganda, 1971-79; 1981-85; 1994 até o presente

17

650.000

Indonésia: Marxistas 1965-66 (450.000); Timor Oriental, Papua, Aceh etc, 1969 até o presente (200.000)

18

580.000

Angola: guerra contra Portugal 1961-72 (80.000); depois da retirada de Portugal (1972-2002)

19

500.000

Brasil contra os seus índios, até 1999

20

430.000

Vietnã, depois que a guerra terminou em 1975 (seu próprio povo; refugiados dos barcos)

21

400.000

Indochina: contra a França, 1945-54

22

400.000

Burundi, 1959-present (Tutsi/Hutu)

23

400.000

Somália, 1991 até o presente

24

400.000

Coréia do Norte até 2006 (seu próprio povo)

25

300.000

Curdos no Iraque, Irã, Turquia, anos 80 à 90

26

300.000

Iraque, 1970-2003 (Saddam contra as minorias)

27

240.000

Colômbia, 1946-58,; 1964 até o presente

28

200.000

Iugoslávia, regime de Tito, 1944-80

29

200.000

Guatemala, 1960-96

30

190.000

Laos, 1975-90

31

175.000

Serbia contra a Croácia, Bósnia-Herzegovina, Kosovo, 1991-1999

32

150.000

Romênia, 1949-99 (seu próprio povo)

33

150.000

Libéria, 1989-97

34

140.000

Rússia contra a Chechênia, 1994 até o presente

35

150.000

Guerra civil do Líbano, 1975-90

36

140.000

Guerra do Kuwait, 1990-91

37

130.000

Filipinas: 1946-54 (10.000); 1972 até o presente (120.000)

38

130.000

Burma/Mianmar, 1948 até o presente

39

100.000

Iêmen do Norte, 1962-70

40

100.000

Serra Leoa, 1991 até o presente

41

100.000

Albânia, 1945-91 (próprio povo)

42

80.000

Irã, 1978-79 (revolução)

43

75.000

Iraque, 2003 até o presente (doméstico)

44

75.000

El Salvador, 1975-92

45

70.000

Eritréa contra a Etiópia, 1998-2000

46

68.000

Sri Lanka, 1997 até o presente

47

60.000

Zimbábue, 1966-79; 1980 até o presente

48

60.000

Nicarágua, 1972-91 (Marxistas/nativos etc...)

49

51.000

Conflito Árabe-Israelense 1950 até o presente

50

50.000

Vietnã do Norte, 1954-75 (próprio povo)

51

50.000

Tagiquistão, 1992-96 (secularistas contra Islâmicos)

52

50.000

Guiné equatorial, 1969-79

53

50.000

Peru, 1980-2000

54

50.000

Guiné, 1958-84

55

40.000

Chad, 1982-90

56

30.000

Bulgária, 1948-89 (próprio povo)

57

30.000

Rodésia, 1972-79

58

30.000

Argentina, 1976-83 (próprio povo)

59

27.000

Hungria, 1948-89 (seu próprio povo)

60

26.000

Independência da Cachemira, 1989 até o presente

61

25.000

Governo Jordaniano x Palestinos, 1970-71 (Setembro Negro)

62

22.000

Polônia, 1948-89 (seu próprio povo)

63

20.000

Síria, 1982 (contra islâmicos em Hama)

64

20.000

Guerra chinesa-vietnamita, 1979

65

19.000

Marrocos: Guerra contra a França, 1953-56 (3.000) e no Saara Ocidental, 1975 até o presente (16.000)

66

18.000

República do Congo, 1997-99

67

10.000

Iêmen Sul, 1986 (guerra civil)

* Todos os números foram arredondados. Fontes: Brzezinski, Z., Fora de Controle: Tumulto global na Véspera do Século XXI, 1993; Courtois, S., Le Livre Noir du Comunismo, 1997,; HEINSOHN, G., DER DE LEXIKON VÖLKERMORDE, 1999, 2º ED.; HEINSOHN, G., UND DE SÖHNE WELTMACHT, 2006, 8º ED.; RUMMEL. R., Morte pelo Governo, 1994; Pequeno, M. e Singer, J.D., Recorra às Armas: Guerras Internacionais e civis 1816-1980, 1982,; White, M., Número de Mortos das Principais Guerras e Atrocidades do Século XX," 2003.

Mao Tse-Tung de longe o maior assassino pós-1950.

Este inventário horrível mostra o número total de mortes em conflitos desde que 1950 em aproximadamente 85.000.000. Daquela soma, as mortes do conflito árabe-israelense desde que 1950 incluem 32.000 mortes devido a ataques de estados árabes e 19.000 devido a ataques palestinos ou seja 51.000 ao todo. Árabes compõem aproximadamente 35.000 dos mortos e os judeus israelenses 16.000.

Estes números significam que as mortes nas lutas árabe-israelenses desde 1950 significam somente 0,06 por cento do número total de mortes em todos os conflitos naquele período. Graficamente, só 1 de cerca de 1,700 pessoas mortas em conflitos desde 1950 morreram devido ao conflito árabe-israelrnse.

(Adicionando os 11.000 mortos na guerra da independência israelense, 1947-49, compostos de 5.000 árabes e de 6.000 judeus israelenses, não se alteram estes números significativamente).

Numa perspectiva diferente, uns 11.000.000 de muçulmanos foram mortos violentamente desde 1948 dos quais 35.000, ou 0,3 por cento, morreram durante os sessenta anos de lutas com Israel, ou seja 1 a cada 315 fatalidades muçulmanas. Em contraste, mais de 90 por cento dos 11 milhões dos que pereceram foram mortos pelos próprios muçulmanos.

Comentários: (1) Apesar da relativa não-letalidade do conflito árabe-israelense, seu renome, notoriedade, complexidade, e centralidade diplomática provavelmente continuarão a lhe dar importância desproporcional na imaginação global. E a reputação de Israel continuará a pagar o preço. (2) Mesmo assim, isso ajuda a mostrar a estatística 1-em-1.700 como um corretivo, na esperança de que um dia, esta realidade exposta, permita ao conflito árabe-israelense tomar seu legítimo lugar, menos importante nas políticas mundiais.

Professor Heinsohn é o diretor do für de Raphael-Lemkin-Institut Xenophobie - und Genozidforschung da Universidade de Bremen.O Sr. Pipes é o diretor do Foro do Oriente Médio.

Exibições: 68

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de Konrad Yona Riggenmann em 18 julho 2014 às 10:35

Muito ilustrativo! Mas por que existe essa visão ocidental de Israel como o foco de violencia e morte de inocentes, se não porque o imagem da morte violenta do Jesus inocente, crucificado em Jerusalém pelos Judeus sinistros, domina tanto nesse mundo? 

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço