JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Porque os sonhos são apenas uma forma diferente de consciência do tipo que se tem quando se está dormindo ou sonhando acordado há uma sensação de que os sonhos são comunicações que se originam fora de nós.

 

É indiscutível que no Tanakh os sonhos são muitas vezes considerados uma ferramenta de comunicação divina. No entanto, o Tanakh também reconhece que há sonhos que são motivados pelo subconsciente do sonhador.

 

O Talmude, de fato, diz que um ser humano mostra no sonho apenas o que seus próprios pensamentos sugerem a ele.

 

O sonhos, observou o biólogo e naturalista E. O. Wilson, são "uma onda de visões, em grande parte desconectados da realidade, emocionalmente carregados e ricos em simbolismo."

 

Não poderia haver melhor descrição dos sonhos de José, o décimo primeiro filho de Jacó

 

Lemos no livro de Gênesis, capítulo 37 versículos 5-7:

 

 Sonhou também José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso, o aborreciam ainda mais. E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava e também ficava em pé; e eis que os vossos molhos o rodeavam e se inclinavam ao meu molho.

 

"Que tipo de pastor" - o bioeticista Leon Kass pergunto- " sonha com molhos de trigo?

 

Os sonhos de Joseph diz o filósofo israelense Yoram Hazoni- refletem o que os irmãos de outra forma teriam adivinhado: Joseph vê-los não como pastores, como nômades, agentes independentes e, portanto, essencialmente como iguais ; mas como agricultores.

 

A questão por trás dos sonhos de José,  explica Claus Westermann, o falecido estudioso bíblico da Universidade Heidelberg- é "como é possível e justificável que em uma nação um irmão se assenhore sobre os outros?

 

De todos os filhos de Jacob, Joseph passou de ser o filho de um pastor hebreu que foi maltratado por seus irmãos, para a posição do poderoso ministro da vasta e rica terra do Egito. Ele se tornou a primeira autoridade civil no livro de Gênesis, um executor autoritário das leis do Egito.

 

José é muito seguro de si. Os elementos milagrosos ou sobrenaturais estão ausentes. Deus nunca intervém abertamente e diretamente no curso de seus ações.

 

Como Andre Lacoque pondera: "Para José, Deus " é mais ou menos presente, mais ou menos ausente "É difícil não concluir que José consegue atingir a sua posição de poder impulsionado por seus próprios sonhos e as suas capacidades administrativas.

 

Através de suas realizações, nas palavras de Harold Bloom, José "torna-se um fornecedor, mas não é um salvador."

 

Joseph é aquele que inicia a cadeia de eventos que levaram à descida para o Egito. Sua história no TaNaKh é o prelúdio para o drama da opressão e da redenção que gravará a história do judaísmo para sempre.

 

Porque, como afirma Yoram Hazony:

 

Um jovem israelita pode salvar seu povo e desenvolver o poder do maior império de todos. Joseph representa a crença de que o aparelho do império pode ser aproveitada. E, embora quando por um momento parece que ele poderia estar certo, sabemos que, no final, seus esforços trouxeram a seu povo séculos de opressão amarga.

 

A narração enfatiza que Joseph estava ciente de que Israel teve de abandonar o Egito, mas seu medo era tal que o impediu de tomar as medidas necessárias. É esse medo em si, ao invés de qualquer ação de Faraó e seus ministros, que deve ser visto como a causa da escravidão de Israel e incontáveis mortes inocentes.

 

A narrativa de José, assim, confirma e esclarece o ponto de vista moral tão corajosamente afirmado na história de Abraão, o que sugere que qualquer um que parece ser o caso em um dado momento, o alojamento com a iniquidade e idolatria do Estado Imperial é em última análise, impossível. Fazemos todos os esforços para atingir este alojamento, à custa dos nossos filhos e dos seus filhos, que provavelmente iram pagar o preço.

 

A história de José é a história do efeito que a ambição pessoal tem para o futuro da família à qual pertencem os indivíduos

Exibições: 124

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço