JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

O Tikkun Olam de não-judeus: Irena Sendler

Acredito que o Judaísmo Humanista tenha como dever resgatar e honrar a memória dos não-judeus que praticaram a Tsedaká com nosso povo nos momentos mais difíceis. São tantos... e a maior parte desconhecidos de nós e de nossos filhos. Temos que legar a eles essa história. Destaco apenas alguns:

  • Irena Sendler - seria uma desconhecida no Brasil se não tivesse sido por iniciativa de Lia Diskin, do Comitê Paulista pela Década da Cultura de Paz, que escreveu um artigo sobre ela para a revista 18. Saibamos mais sobre ela clicando aqui.  Um filme sobre sua vida foi premiado no ano passado no Festival de Cinema Judaico do Reino Unido.
  • Aracy Guimarães Rosa, sobre quem já se falou um pouco mais.
  • Aristides de Souza Mendes, diplomata português que pagou caro pela sua desobediência ao governo de Salazar salvando judeus.
  • e tantos outros.

Acho que nós, Judeus Humanistas, temos essa entre as nossas tarefas. Oxalá um dia possamos ter um museu virtual que honre a memória dessas pessoas, incluindo entre elas os árabes que salvaram 500 judeus do massacre de Hebron em 1929, e incluindo também judeus que salvam e ajudam palestinos hoje em dia.

Temos conosco nesta semana uma representante deste último grupo, a rabina Jill Jacobs, diretora do Rabbis for Human Rights North America. Os RHR em Israel se dedicam principalmente à reconstrução de casas demolidas injustamente pelo Exército israelense.

Ou seja, esse espírito que trouxe uma Irena Sendler está vivo e presente hoje, e aberto para que todo judeu humanista o assuma como parte de seu judaísmo.


Exibições: 64

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço