JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Pararashá Mística 49º, Dt. 21:10-25 ZOHAR - VOL. 22 – KI TETSÊ

ESTUDANDO A BIBLIA MISTICA

Ki Tetsê começa considerando o caso de uma mulher quando capturada por um soldado judeu durante uma batalha. Pelo resto da Porção, a Torá continua com uma lista de mitsvot. Comenta os direitos especiais de herança do primogênito, o caso do filho teimoso, e a importância de respeitar-se a propriedade de outras pessoas, e o cuidado de se de enxotar a ave mãe do ninho antes de apanhar os filhotes, e que não se deve vestir shatnez, mescla de lã e linho na mesma peça de roupa.
Outras situações são abordadas como: a difamação das mulheres, o adultério é proibido, a ordem no acampamento é arguida para que haja santificação. Há considerações também ao divórcio, discute o sequestro, o pagamento justo do trabalhador e o conceito de responsabilidade das ações dos indivíduos.
Nesta porção a Torá faz uma consideração muito especial ao órfão, a viúva, a questão do levirato e evoca a honestidade nos negócios com uma Mitsvá. Conclui portanto a porção exortando ao povo de Yisrael a se recordarem das atrocidades cometidas pela nação de Amalek contra o nosso povo após o Exodo. Numa abordagem moderna ao nosso mau instinto
O que a Parashá está nos revelando? Primeiro a importância de que existem Mitsvot, e que elas devem ser obedecidas. Segundo, quando cumprimos as Mitsvot, estamos obedecendo ao Criador, ou seja, estamos conectados Nele. Quando elegemos intermediários entre nós e o Eterno, além de praticarmos idolatria, estamos desconectados Dele.
Moré Altamiro de Paiva (Avraham Bar-Zohar)

Exibições: 9

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço