JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana


PSHARAT HÁ SHAVUA : Yedid Nefesh.

par o amigo Jayme Fucs.

É só mudar as ordens das letras que PARASAHAT HASHAVUA se transforma em PSHARAT HÁSHAVUA que, em bom português significa dar um tempo na semana,um intervalo na correria onde não sobra tempo para a re-flexão, sobre a vida que levamos. O que é bem diferente das flexões que fazemos pelas academias da vida.

Então, dando uma Peshará na semana, podemos ler a Parashá, ou dar uma parada para pensar na vida e filosofar um pouco a existência. Considerando que Philo Sofia é a amizade que temos pela sabedoria,então já estamos no tema que me ocorreu lendo em um livrinho de Giorgio Agambem um belo artigo sobre a amizade. Me lembrei que hoje no shabat das sinagogas muitos cantarão Yedid Nefesh sem perceber a beleza deste termo.

Yedid nefesh - Amigo de Alma, palavra escrita em hebraico, YDYD e composta de iod-dalet iod-dalet o que nos permite ler Yad Yad. ( numa escrita sem pontinhos como dizímos na infância) O que transforma amizade em poesia embutida na língua pois teríamos a amizade como composta de duas vezes mão construindo a imagem que de mão em mão é feita a amizade.

Se quisermos ir um pouco mais longe e entrarmos na poesia infinita que é a língua hebraica relida pela cabalá, teríamos em numerologues: Yedid=28( 10 para iod e quatro para dalet) o que nos permite reescrever como כח ou seja Koach/força.

Amizade seria então um dar mão à mão que contrói a força mas que não se faz à força e sim por desejo próprio e sentimento. Yad be Yad.

Aqui volto ao Aga-ben ( o hifem é meu) que cita Aristóteles em seu artigo “O amigo”(vejam só em que passeio amigo esta Peshará que dei no meu tempo acabou me levando):

“Existir( to einai em grego) significa de fato sentir e pensar

Sentir que vivemos é por si doce, já que a vida é naturalmente um bem e é doce sentir que um tal bem nos pertence......A amizade é,de fato,uma comunidade e,como acontece em relação a si mesmo,também para o amigo: e como, em relação a si mesmos, a sensação de existir( aitheisi oti estin) é desejável,assim também será para o amigo”

Então uma Pshará amiga e doce para todos nós neste shabat que a esta hora já rola pelo mundo.

Paulo Blank

Giorgio Agabem, em "O que é o contemporâneo? ,ed Argos,ed de unachapecó,2009.

Exibições: 136

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de Elias Salgado em 20 agosto 2010 às 16:56
Mestre, sim,mestre da pshará - conciliação ( outro significado de pshará), das almas, das idéias dos sentires, entre os seres. Aceite de bom grado querido Idid Nefesh esta forma de ser( dom?), de tão bem conseguir brincar(?) tão magistralmente com mentes, corações e almas, erradiando das suas para as nossas. Linda mensagem querido Paulo, linda mesmo! A da sacralidade da verdadeira amizade, a de nos lembrar desta encantada possibilidade do Shabat de nos permitir simultaneamente, deixar de lado coisas e nos (re)conciliar com outras, eternamente.
Pshará tová pra vc. tb. e para todos os nossos IEDIDIM de NEFASHOT MEFUSHAROT- AMIGOS DE ALMAS (RE)CONCILIADAS POR BEM QUERER.
Abs.
Elias
Comentário de Flávia Muniz em 20 agosto 2010 às 16:32
Paulo!

Fui pesquisar mais sobre o Giorgio Agabem e olha o que achei!
http://www.ihu.unisinos.br/index.php?option=com_noticias&Itemid...

No ítem 4:"Daí vem que ser contemporâneos é, antes de tudo, uma questão de coragem: porque significa ser capazes não apenas de manter o olhar fixo na sombra da época, mas também perceber nessa sombra uma luz que, dirigida até nós, se afasta infinitamente de nós. Isto é: chegar pontualmente a um encontro ao qual só é possível faltar".

:)


ótima reflexão sua e dele!

bjo,
Flávia

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço