JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Porque a Ciência está tão perto com o Judaísmo -


Dr. Mariano Gustavo Zalis , PhD
R&D Director Laboratorio Progenética

A mãe judia chega para o filho e diz,

Depois de tudo que fiz por você o mínimo que pode fazer é me dar um prêmio Nobel.

E ai que começamos com esta importante pergunta

Por que temos tantos judeus que ganharam o prêmio Nobel principalmente nas áreas de ciências, medicina, física e química ????
e o que isto tem haver com o Judaísmo.

Sim é verdade , desde 1905 temos 35 ganhadores em química ( Ada Yonath ribossomas e Dna Schechtman, quase cristais),

54 em Medicina e Fisiologia (Metchnicov, imunidade, Landsteiner-grupos sanguíneos, Krebs, do cilco de Krebs, Milstein, Anticorpo monoclonais) 29 em Física, Claro Einstein, Bohr,
Em 2017 foram 6 em Medicina e Física.

Por isso,
Somos o povo mais inteligentes , temos a Genética da Inteligência?

Na minha opinião NAO,
A historia, cultura, o modo de viver, que hoje eu posso chamar de fatores epiggeneticos foi o que levou a todo esse sucesso, sim sucesso.

Como dizem os sábios , tudo esta escrito na Torá, então podemos afirmar que quando a Tora foi escrita, ela já expressava . sob alguma forma o conhecimento da genética, e o talmude da epigenética.

O genoma humano é como a tora, sempre igual, e se há alguma grande falha não serve mais. O Talmude é como a epigenética e de uma certa maneira e como se interpreta a tora assim como a epigenética é interpretação do genoma pela influencia de genes e do meio ambiente.

Gerações e gerações vivendo em contato com o judaísmo, as tradições , as perguntas, e os mistérios da Humanidade, levaram das discussões do talmude para as equações que regem o mundo. De D'us fez a luz ao big bang.
.
Muitas teorias foram lançadas.

Uma delas é que os judeus possuem genes específicos . Charles Murray, o erudito do Enterprise Institute e co-autor da The Bell Curve, apresentou o caso para isso há alguns anos atrás, em um ensaio em Commentary chamado "Jewish Genius", escrevendo sem rodeios que "algo nos genes explica alto QI judaico.
"Outra teoria é que os judeus adoram os livros nos livros, como o premiado da economista israelense, Robert Aumann no Haaretz que as casas judaicas têm estantes transbordando

Sem duvida a minha é.
.
Ao longo das gerações, damos uma grande importância a essa busca intelectual

Mas não devemos exagerar. Os judeus não foram os primeiros cientistas;

Essa distinção vai para a Grécia e para o século pré-cristão. Mas, de acordo com o sociólogo alemão Max Weber, foi o judaísmo que primeiro levou ao que ele chamou de racionalidade ocidental, o que tornou possível a ciência, e a razão pela qual isso aconteceu foi porque o Capítulo 1 de Bereshit é o primeiro a desmitificar o universo.

A filosofia judaica nos diz que o mundo é um sistema único e unificado.

Isso significa que o universo faz sentido - que uma parte não deve entrar em conflito com outra - e permite o raciocínio dedutivo.

Se você vê A, B e C aqui, também terá sentido lá, em outro ambiente.

Isso também significa que a descoberta científica eventualmente irá paralelar reivindicações bíblicas.

Por exemplo, a teoria do Big Bang diz que o universo começou a partir de uma única explosão de energia e que essa energia tomou a forma de matéria.

Todos os comentários antigos disseram que este começo foi uma criação física, e agora, milhares de anos depois, a ciência chegou a combinar esse entendimento.

Quando olho pela janela todas as manhã estou olhando é a luz da criação.
Isso não é poesia ou filosofia da Nova Era - é a realidade. Tudo é a energia da criação na sua forma atual.

Se você olha o desenvolvimento da ciência ao longo dos séculos, ele passou de uma visão completamente materialista para uma que inclui o físico e o não-físico.

Há centenas de anos, Newton tinha uma visão completamente materialista do mundo, mas no século 20, isso deu lugar à teoria da relatividade de Einstein.

Vinte ou trinta anos depois disso veio a física quântica, que examina o muito pequeno.

Quando você chega a esse nível, o mundo físico se evapora literalmente, e o mundo se torna uma informação pura. A visão da física quântica do mundo é uma mistura do físico e metafísico - e começa a parecer um pouco teológico.
[Controle]


Até então, o universo era visto como o resultado de vastas e caprichosas forças cósmicas - não podia ser previsto, só poderia ser. Explique melhor


Pode-se argumentar também que o pensamento judaico influenciou a ciência argumentando que Spinoza influenciou Einstein - o que ele fez, profundamente.

Einstein aceitou a idéia de Spinoza de que as leis da natureza são completamente inteligíveis e, pela própria admissão de Einstein, essa crença do Spinozista inspirou muito seu pensamento.

Na ideia que...

Existe alguma coisa do pensamento judeu tradicional que poderia ter influenciado Spinoza a ter uma visão tão radical sobre a inteligibilidade final do universo, entendida apenas em seus próprios termos, sem quaisquer princípios sobrenaturais necessários para tornar o universo compreensível - em outras palavras, sem espaço para que um deus transcendente tenha um papel explicativo?

Voltando...

Um passo importante feito pelos judeus no abandono do mito que fez as pessoas capazes, pela primeira vez, de ver o universo através da raiz da racionalidade ocidental, da qual veio a ciência.

Moisés Maimonides, Claro Maimonedes, diz que a ciência é uma das rotas para o amor e o medo de Deus.

Os judeus não estavam no mainstream científico porque não estavam na corrente social até a era moderna.

No século 15, no Renascimento italiano, pela primeira vez temos contato real entre estudiosos judeus e cristãos.

Em Cracóvia no século 16, quando a Polónia está desfrutando um dos seus raros momentos de tolerância, você tem um intercâmbio entre estudiosos judeus e não judios - Maharal de Praga e Judah Ganz, que conhecia Tycho Brahe.

O século 17 é realmente o nascimento da ciência moderna. Aqui a influência era do judaísmo, não dos judeus. Os cristãos que leram a Bíblia entenderam que a Bíblia estava nos dando uma garantia para entender o universo. O estudo do universo natural foi uma tarefa tão santa quanto o estudo da Bíblia.
Então Voltamos a pergunta.

Por que os judeus são tão bons na ciência?

Primeiro, existe uma profunda sensação judaica de que este universo é inteligível.

Segundo, a quase total obsessão judaica é fazer perguntas. Você não pode nem começar o Seder sem fazer uma pergunta.

Terceiro é este imenso valor judaico colocado no intelecto.

Em quarto lugar, os judeus desde os dias de Abraão foram iconoclastas, preparados para desafiar a sabedoria convencional, e ainda o fazem.

Em quinto lugar, e muito importante, os judeus não têm uma proibição de se imaginar Deus. Pelo contrário, Deus quer que sejamos seu parceiro no trabalho da criação.


Mas excelência judaica na ciência que vemos hoje é uma coisa muito nova.
A excelência judaica na ciência é um fenômeno que floresceu nas décadas anteriores e, especialmente, após a Segunda Guerra Mundial;

é um fenômeno muito recente a ser explicado pela seleção natural, ou mesmo por antigas tradições culturais.

A verdadeira explicação do sucesso judaico na ciência está em outro lugar e isto pode incomodar a muitas pessoas que so pensam que a genetica é o unico fator.


Temos que lembrar que o século 20 começou com migrações massivas de judeus, para os Estados Unidos, para as cidades da Rússia (e depois da União Soviética) e para a Palestina.

Em cada uma dessas novas terras, os judeus se voltaram para a ciência em grande número, porque prometeu uma maneira de transcender as ordens do antigo mundo que há tanto tempo excluíram a maioria dos judeus do poder, da riqueza e da sociedade.

A ciência, baseada em valores de universalidade, imparcialidade e meritocracia,

Isto fez brilhar os olhos poderosamente dos judeus que buscavam ter sucesso em suas novas vidas.

Não é tanto o que os judeus eram (inteligentes, livres) que explicam seu sucesso na ciência, como o que queríamos ser (igual, aceito, estimado)

e em que tipo de lugares queríamos viver (sociedades liberais e meritocráticas) .

Os Prêmios Nobel são um indicador de cientistas que começaram a muitos anos atras.
muitas vezes para cientistas que se retiram por muito tempo, eles refletem um estado de coisas que existiam 30, 40 e, às vezes, 50 anos atrás.

Eles são um instantâneo de dias passados.

O que me impede de atribuir a notável proeminência dos judeus entre os vencedores do Nobel aos genes ou as tradições culturais duradouras é que isso sugere que o sucesso judaico na ciência continuará inevitavelmente como uma questão de curso. Provavelmente não será.

Infelizmente as porcentagens de judeus entre os novos doutores americanos nas ciências diminuíram muito ao longo da geração passada.

Em Israel, ja penso difrente, o pequeno pais que não tem recursos naturais sobrevive quase exclusivamente de alguma agricultura mais principalmente da invovação, tecnologia e ciencia. As Universidades e Institutos de Ciencias não tem nem cem anos em comparação com Oxford, Harvard e Cambridge, etc.

Recentemente tivemos 2 premios nobel orieundo originalmente de Israel. E acredito que virão mais, e só o começo. Uma juventude precoce sem dúvida.

Talvez isso fosse inevitável, talvez não. De qualquer forma, não há boas razões para esperar que as contribuições notáveis dos judeus para a ciência continuem para as gerações vindouras. Ao invés de comemorar o fruto de amadurecimento tardio do trabalho de nossos pais e avós, cada Prêmio Nobel é uma chance de refletir sobre se não devemos plantar novamente nos campos, muitas vezes negligenciados, que nos legaram.

Vivemos mais e melhor por causa da ciencia.

Eu espero que as maes judaicas sempre peçam para o filho ganhar o premio nobel não pelo
valor em dinheiro que o corresponde. E para aqueles que podem serem os novos mecenas de jovens cientistas

Exibições: 45

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço