JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Yeshayahu Leibowitz fala sobre a Mulher no Judaismo ortodoxo

Impressionante e Incrivel como esse grande Sabio o Prof. Yeshayahu Leibowitz conseque ser bastante atual na realidade de Israel de Hoje, onde a questão da mulher no Judaismo Ortodoxo se torna cada vaz mais fechado e dogmatizado. O Video em Hebraico tradução em Ingles.

Classificação:
  • Atualmente, 5/5 estrelas.

Exibições: 154

Favorito de 2 pessoas

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de roberto carvalho em 31 janeiro 2012 às 16:26

A ORTODOXIA RELIGIOSA ESTA LEVANDO O JUDAISMO PARA O ABISMO E SE NÃO SE TOMAR UMA PROVIDENCIA NO SENTIDO DE NOS LIBERTARMOS DESSA ULTRA ORTODOXIA COM CERTEZA ESTAREMOS FADADOS A MAIS UM HOLOCAUSTO E ESTE PROMOVIDO POR NÓS MESMOS.

QUEM SABE A MULHER NÃO DE O CHUTE INICIAL NESSE SENTIDO, OU SEJA, O DE NOS LIBERTARMOS DESSA ORTODOXIA E FAZERMOS NOSSO RETORNO ESPIRITUAL NOSSA TESHUVÀ OBEDECENDO OS PRINCIPIOS DA TORAH. SHALOM

Comentário de roberto carvalho em 31 janeiro 2012 às 16:23

SE ESTUDARMOS A TORAH NO AMBITO CIENTIFICO TAMBEM PERCEBEREMOS QUE A MULHER É MUITO MAIS IMPORTANTE E QUE SUA FELICIDADE OU INFELICIDADE, QUE SUA LIBERDADE OU PRISÃO DEPENDE DELA MESMO. QUE A MULHER JUDIA TOME ATITUDE E NÃO ESPERE QUE OS OUTROS FAÇAM POR ELAS.

O PROFESSOR LEIBOVITZ ESTA CERTO. A MU

Comentário de Iara Kotlhar Schimchak em 27 janeiro 2012 às 17:04

Prof Leibovitz é fora de serie.

Sua autonomia, sua capacidade de avaliar cada situação o diferencia da grande massa de haredim (religiosos rigidos).

Ele tem razão ao dizer que a questão feminina é mais psicologica, e que só a mulher pode abrir seu caminho,

em vez de esperar que o façam para ela.

Ele capta o verdadeiro Judaismo.

Infelizmente nas escolas judaicas dificilmente apareem professores como ele, que tanto poderiam ajudar

a transmitir o verdadeiro espirito do Sinai.

Comentário de marx golgher em 27 janeiro 2012 às 7:42

O Rabino Leibowitz é uma personagem dos tempos modernos que poderiam salvar o judaismo religioso em Israel.

Suas idéias estão muito mais perto dos Reformistas do que dos Ortodoxos. O problema que seu poder sobre a sociedade israelense é muito restrito. Ínfimo  mesmo em face ao poder politico da Chefia do Rabinato de Israel, um orgão que detem extraordinarios poderes em território israelense, dando aos ortodoxos dominio total sobre toda a esfera social de seus habitantes judeus. É absurdamente o rabinato, não o Estado, qeu cabe decidir finalmente a vida do cidadão judeu em Israel, estendendo-se sua competência desde o nascimento, a decidir quem é judeu no pais, ao casamento quem pode casar com quem, quem pode divorciar, até onde o defunto pode ser enterrado. em que cemitério, e como vai ser enterrado etc. etc. Espraindo sub-repticiamente o seu poder sobre todos os segmentos fundamentais do aparelho estatal, o rabinato ortodoxo está se infiltrando de tal modo na vida do país, que em breve Israel se transformará num Estado teocrático, estilo talibânicao.

O avanco ortodoxo atual está dirigido às Forças de Defesa de Israel. Evidencia-se cada vez mais manifestações de soldados religiosos a demonstrarem que obedecerão muito mais o um rabino, do que seu superior oficial. Esão muito mais propensos a obedecer muito mais a interpretação dos fatos pela Tora redigida pelo Eterno pelo seu rabino ortodoxo do que as Leis fundamentais do pais, redigidas por réles seres humanos....

Basta atentar que a pressão do Rabinato Ortodoxo para impedir que soldados escutem vozes de cantoras, como se elas fossem as pessoas das mais lascivas de Israel, por absurdo que pareça, está está dando resultados. Os oficiais da FDI já estando cedendo, argumentando que o soldado religioso pode se afastar da celebração com canto feminino como um direito "democrático", como se afrontar violentamente o dignidade inalienavel da mulher em Israel fosse compatível com o Estado de Direito democrático.

Chega a ser bizarra a delimitação de espaço onde a mulher pode ter direitos em Israel:- Segundo a mistificação geral que impregna a sociedade israelense,  os direitos humanos da mulher judia só valem no "espaço público", suprimindo-o no espaço privado...Como se no lar, na sinagoga a mulher pudesse ser espezinhada à vontade pelo macho....Na realidade, é no espaço "privado" é que se geram e fomentam as discriminações da mulher em Israel

Seria imaginável que algum rabino ortodoxo na Diaspora Ocidental, em Nova Iorque, Londres, Rio de Janeiro, S. Paulo, etc. etc. teria a coragem de propor a criação de transporte urbano como os onibus-kasher israelense, onde a mulher tem que se assentar na parte trazeira do veiculo para não "seduzir" os machos ortodoxos?  Bem, até que algum deles poderia propor tal achincalhe da mulher, mas seria logo preso e processado imediatamente pelo ministério público, como crime de desacato violento àos direitos da mulher Com aplauso de toda a sociedade...Afinal, antes e acima de tudo, respeitabilssima e dignissima mãe de todos nós....Eis uma diferença essencial entre Israel e a Diáspora, muito infelizmente.

Certo é que é impensável na Diáspora vem se tornando o cotidiano de Israel. Até quando?.....

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço