JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Fernando Bisker – De Miami- EUA

Esta semana resolvi escrever sobre os falsos mitos que existem em torno do Judaísmo. Da mesma forma que os judeus sempre tiveram que conviver com os boatos e mentiras, como por exemplo, com aquele famoso conto que os judeus utilizam de sangue de crianças para fazer a matzá de Pessach, dentro do próprio cotidiano judaico, existem várias lendas e ditos , não tão sérios assim, que não são verdadeiros. Então selecionei alguns mitos para demonstrar1) Os judeus religiosos tem relação utilizando um lençol com um furo no meio (assim pelo menos o guia turístico nos disse quando fomos conhecer o bairro de MeaSharim em Israel). Verdade ou mentira?

Mentira: Pelo judaísmo o ato sexual entre o marido e sua esposa deve ser feito sem nenhuma separação entre os dois.

Origem do boato: Os tzitziot (aquela roupa que os judeus religiosos usam embaixo da camisa com aqueles fios, que em alguns casos, em pessoas mais gordinhas, pode ser muito grande, e este sim, tem um furo no meio para poder ser vestido.De longe parece um lençol com um furo no meio.

2) Os religiosos não podem evitar filhos e a relação entre o casal é somente para reprodução. Verdade ou mentira?

Mentira: Pelo judaísmo a relação entre o casal vai muito além de reproduzir, é uma conexão espiritual, física e emocional que une o casal, inclusive é permitido durante a gravidez. Em relação a evitar filhos, está permitido em casos de necessidade emocional, física e até mesmo financeira, cada caso sendo analisado pela situação que a pessoa se encontra.


3) Os ultra ortodoxos são a favor do Mahmoud Ahmadinejad, inclusive se encontraram com ele em Teerã e tem até representação política dentro da Palestina. Verdade ou Mentira?

Mentira:Este grupo que visitou o Ahmadinejad e tem representação na Palestina, é composto por menos de 300 pessoas, e são chamados de Naturei Karta. São judeus que se dizem ultra ortodoxos, se vestem desta forma, porém agem completamente contra a Torah. São considerados pelo judaísmo como traidores. Existe uma ato no Judaísmo chamada “Herem”, onde o tribunal rabínico proíbe que a comunidade comprimente alguém, que os aceitem no minyan (10 pessoas necessárias na reza), e os consideram excluídos do povo. Os Naturei Karta receberam este “herem” de toda a comunidade judaica religiosa e ultra-ortodoxa, não são aceitos nas sinagogas, as pessoas não falam com eles, e são considerados traidores. O fato deles vestirem roupas de chassídicos ultra-ortodoxos, não faz com que os outros 600.000 judeus chassídicos ortodoxos que existem no mundo sejam culpados e recebam a fama por causa deste grupo, composto de 300 pessoas.

Por exemplo: Veja a matéria que saiu no website do YeshivaNews.com mostrando a reação da comunidade ortodoxa e a foto usada, o chamando de traidor.

Fonte: http://www.theyeshivaworld.com/article.php?p=4250

Manchester: Protest at home of Achmed Cohen

There is a man who is part of Neturei Karta who lives in Manchester by the name of Mr. Aaron Cohen (AKA Achmed Cohen). A large Hafganah took place outside his house, his car was destroyed to the point of not being drivable. When the Police escorted him out of his house, hundreds of eggs were thrown at him. Apparently he has left the town (hopefully he moved to Iran or Gaza).


4) É obrigatório o uso de barba, peiot (aqueles rolinhos atrás da orelha), roupa preta e branca e chapéu? Verdade ou Mentira?

Mentira. Pela Torah existe sim a proibição de fazer a barba com lâminas de barbear, sendo necessário utilizar o aparelho elétrico, e em relação a costeleta, tem que deixar até mais ou menos o nível da parte inferior da orelha (tipo a costeleta que a maioria das pessoas hoje em dia já usam, até mesmo o David Beckham).


Em relação a deixar a barba e os peiot longos, são costumes, e também razões místicas, porém não é uma lei judaica, e não é uma obrigação pelo judaísmo. Em relação a roupa preta, branca e chapéu: Pelo judaísmo a pessoa deve usar uma roupa modesta, e bem apresentável. Se a pessoa quer usar uma roupa preta e branca para sentir-se e identificar-se como parte de um grupo e sua ideologia, ou usar uma kipá branca, bordada, ou preta, ou de couro, chapéu, etc, pela mesma razão ou não, se para ele é considerada a forma correta de estudar e rezar, está bem. Porém não é uma lei e nem uma obrigação.

Entre nós, os mitos nem sempre vem de fora de nosso povo, muitos deles são criados pela falta de conhecimento de nós mesmos. Então, quando tiver escutado algum destes mitos, não tenha medo de perguntar ao seu amigo ou vizinho religioso, e verá que tudo não passava de um boato.
Fonte: Jornal Rua Judaica


Obs.: Ser judeu, é estar comprometido com a Toráh e com a observância as Mitzvot.
Não é por pura e simplesmente ter vestimenta que vem de um costume e tradição que nos qualifica o ser judeu.
A obediência aos preceitos da Toráh e ao testemunho firme ao proclamar o Shemá Israel e o Ahavat Israel, isso sim, nos constitui um testemunho yehudim.

Ser judeu é ouvir os nossos sábios nos seus ensimamentos;

Ser judeu é atender a Halachá no que tange a observância dos mandamentos (mitzvot) da Toráh;
Ser judeu é não nos contaminarmos com qualquer espécie de idolatria, preceito esse, que a Toráh já nos tem advertido.

Vale lembrar que, nós judeus da diáspora, não estamos vivendo em Eretz, portanto não estamos obrigados a cumprir todos os mandamentos, ou seja, num total de 613. Há muitos que são para dias e épocas apropriadas; há outros que são para as mulheres. No que diz respeito a nós homens, fazemos e cumprimos todos os dias os que nos são por compromisso de Berit Milá.
Até mesmo o Shabat, há momentos que somos impedidos de cumprir, não por nossa desobediência, mas, por "motivo de força maior", alheia a nossa própria vontade.
(Uildicler - Nahum).

Exibições: 2142

Responder esta

Respostas a este tópico

É impressionante como criam-se mitos.

Não sou judia, mas por alguma razão tenho uma profunda admiração pelos ensinamentos, obrigada, bastante elucidativo.

Jane.

Bom dia!
Então, não deixe essa centelha de vontade do conhecimento se apagar e, se aprofunde na sua busca pelo judaísmo. Você vai crescer muito, elevar sua alma, entender mais as pessoas e o mundo e, mudar de vida.
Shabat Shalom!
Uildicler.

Sim pode deixar, tenho muita vontade de saber sobre todas as coisas.
"Namastê"!!!


Jane.

Uildicler Esteves da Silva disse:

Bom dia!
Então, não deixe essa centelha de vontade do conhecimento se apagar e, se aprofunde na sua busca pelo judaísmo. Você vai crescer muito, elevar sua alma, entender mais as pessoas e o mundo e, mudar de vida.
Shabat Shalom!
Uildicler.

muito ESCLARECEDOR PARABÉNS

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço