JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Injustiça Social? Deixa as mulheres bíblicas corrigir-la

A história de José -a mais longa narrativa do livro de Gênesis é interrompida para contar um episódio na vida de um de seus irmãos. À primeira vista, é, nas palavras do advogado Alan Dershowitz: "uma novela estranha envolvendo sexo por dinheiro entre Judá, irmão de José, e sua disfarçada nora - Tamar." Mais sobriamente é uma história que tem toda a aparência de um caso de direito de família:

 

Judá tem três filhos. Ele encontra uma esposa para seu filho primogênito, mas logo após seu casamento este morre sem filhos. De acordo com o livro de Deuteronómio:

 

Quando alguns irmãos morarem juntos, e algum deles morrer e não tiver filho, então, a mulher do defunto não se casará com homem estranho de fora; seu cunhado entrará a ela, e a tomará por mulher, e fará a obrigação de cunhado para com ela.  E será que o primogênito que ela der à luz estará em nome de seu irmão defunto, para que o seu nome se não apague em Israel. (Deuteronómio capítulo 25 versículos 5 e 6).

 

Embora o objetivo desta lei é discutida, não há dúvida de que uma das suas principais intenções era corrigir uma injustiça inerente à sociedade patriarcal.

 

A Dra. Leila Leah Bronner, professora de Bíblia e História Judaica explica:

 

"Uma viúva com filhos podia sentir a segurança de saber que ela estaria protegida, porque seus filhos herdariam o espólio de seu pai, e pode ser assumido que iria fornecer para sua mãe. A viúva sem filhos, em contraste, não recebeu nenhum estado. De acordo com as leis do casamento levirato, a viúva sem filhos estava à mercê do cunhado que deveria se casar com ela, mas que pode se recusar, deixando-a ela em uma posição insustentável e insegura. "

 

E isso é exatamente o que acontece neste caso. O segundo filho de Judá se recusa a seguir o costume e ter um filho com a esposa de seu irmão falecido. Em seguida, ele também morre.

 

Judá está agora obrigado a prometer Tamar a semente de seu filho mais novo, Selá. Ele faz, mas, aparentemente, não tem a intenção de manter sua promessa. Ordena Tamar para voltar a viver com a família de seu pai até que Selá cresceu, provavelmente esperando que a distância vai dissuadi-la para exigir-lhe manter à sua promessa.

 

Presa pelas costumes da sociedade bíblica Tamar entende que ela não está em posição de exigir seus direitos, ela é uma mulher abandonada que é estéril;  não é nem uma viúva independente nem uma esposa dependente.

 

Claus Westermann, um dos principais estudiosos das escrituras hebraicas do século XX, observa que:

 

   "A narrativa poderia continuar com Tamara implorando a ajuda de Deus e de ser resgatada da sua angústia por intervenção divina. Mas não há qualquer vestígio de isso no capítulo 38. É uma narrativa secular do começo ao fim, e ainda conta como Tamar- adquire seu direito por uma artimanha ousada e inteligente no limite da decência."

 

Recorrendo a sedução, ela engana Judá para executar o papel do Levir no lugar de seus filhos, um ato que, eventualmente, obrigou- ló a reconhecer publicamente a sua injustiça.

 

Ao demonstrar sua capacidade de reconhecer suas falhas e de arrependimento, Juda prova ser a escolha certa de seu pai Jacob para assumir a liderança de seus irmãos. Em um sentido amplo o objetivo dessa história é a "educação de Judá" para assumir a liderança dos filhos de Israel.

 

O professor Westermann observa que

 

"É uma característica das histórias patriarcais", que a revolta contra a ordem social estabelecida, onde é uma questão de injustiça, é sempre iniciada por mulheres. E, em cada caso, a justiça de tal auto- defesa é reconhecida."

 

A narrativa do TaNaKh, em efeito,  recompensa Tamar com filhos gêmeos nascidos de seu acoplamento com Judá, um dos quais acabou por ser o ancestral direto do Rei David.

 

Como afirma o escritor Jonathan Kirsch: " A história sugere que não iria ter sido pelo ato ousado de sedução d’uma mulher cananéia, não teria havido nenhuma tribo de Judá, e, portanto, não haveria judeus ou David e, portanto, nenhum Messias."

  

Exibições: 88

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço