JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

SOCIEDADE ALTERNATIVA E EDUCAÇÃO COMO PRATICA A LIBERDADE - DAVI WINDHOLZ

SOCIEDADE ALTERNATIVA

E

EDUCAÇÃO COMO PRATICA A LIBERDADE

 

 

2006

 

 

DAVI WINDHOLZ

 

1. Introdução

Nosso objetivo não é entender historicamente a decadencia dos movimentos juvenis sionistas, mas sim propor um novo modelo educacional, o qual possa recriar o movimento e tornar-lo relevante como no passado. O movimento juvenil judaico sionista socialista surge como um marco que oferece ao jovem judeu um novo caminho, um novo ser humano e judeu. A alia ao kibutz, e portanto a renovação do ser humano judeu, coincidi com os movimentos humanistas e socialistas de então.

Até os anos 60 o movimento era relevante a juventude judaica. Mas, a partir dos anos 70 ele começa perder de sua relevancia e de seu significado. Nos vimos nos ultimos 20 anos do seculo XX uma mudança radical da ideologia juvenil, de uma postura ideologica revolucionaria a uma postura conformista, consumista, individualista. Neste periodo há um desenvolvimento muito grande da tecnologia da comunicação de massas, do saber independente (computação e internet), da socialização através de campanhas publicitarias e da força ideologica dos "logos". Junto a isso o desenvolvimento de um pluralismo cultural, modificando por todo o conceito de familia, através da liberdade sexual (pilula), divorcio, homossexualismo. Para finalizar entramos no processo de desabamento das estruturas socialistas a nivel mundial (auge quebra da União Sovietica) e o dominio total de um capitalismo bruto através da globalização economica, cultural e comunicativa.

Para podermos trabalhar em um novo modelo temos que entender o contexto atual e as grandes mudanças nas duas ultimas decadas do seculo passado. Essas mudanças ocorrem no plano individual, familiar, comunitario, nacional e internacional. Somente entendendo que essas mudanças já estão influenciando a nossos educandos, sem porem, influenciar nosso pensar educativo. Temos que nos recriar, repensar em base a essas mudanças:

1. Expectativa de Vida: Uma criança nascida no começo do sec xxi terá uma expectativa de vida de 100-120 anos. O principal significa disso é que teremos mais tempo livre em nossas vidas para realizar atividades voluntarias, de lazer, etc.

2. Tempo Livre: Com o processo da robotização nos proximos 20 anos, o periodo de trabalho será reduzido a 20 hs por semana. O principal significa disso é que teremos mais tempo livre em nosso dia-dia, no periodo de nossa vida trabalhista, para realizar atividades voluntarias, de lazer, etc.

3. Fonte de Informação: No sec passado o professor era a fonte unica de informação, transmitida através da aula frontal, losa, giz e livro. Com a televisão, computador e internet a informação foi democratizada, e dinamizada a um nivel audio-visual (filmes, fotos, animações, etc). A criança passa a saber mais do que seu proprio professor(a). O principal significado disso é que não necessitamos mais das escolas para nos informarmos.

4. Socialização "Logotipo": Os valores culturais são transmitidos principalmente através da propaganda. As crianças, jovens, adultos, homens, mulheres se comportam, pensam, sentem e acreditam de acordo com modelos transmitidos pela propaganda. Mais do que pelos modelos transmitidos pela casa (familia), comunidade, escola, religião, movimento juvenil, etc. O principal significado disso é que os fatores socializantes classicos deixam de ter relevancia no processo de socialização em prol da propaganda.





5. Pluralismo Familiar: A familia se desintegra e deixa de ter um "modelo ideal" (pai, mãe, filhos) e passa a ser pluralista em base a familia "normal", pais divorciados, re-casados, uni-paternais, homossexuais, comunares, etc. O principal significado disso é que não existe mais um modelo de valores unico a ser transmitido.

6. Enfermidades: No inicio do sec xx morria-se de enfermidades bacteriologicas. Hoje se morre de enfermidades causadas por má alimentação, falta de exercicios e stress – modo de vida. Cancer, cardiologicas, gastro, anorexia, etc. O principal significado disso é que a cura esta na educação e não na medicina.

7. Depressão: 30% da população adulta americana toma anti-depressivos, 20% das crianças tomam "retalim", 45% se divorciam, 55% de adultos de pais divorciados se divorciam, mais de 60% da população adulta está frustrada com sua situação economica ou pessoal. E isto no primeiro mundo!!! O principal significado disso é que a felicidade e a realização pessoal não estão na carreira profissional ou no status social, apesar de todos comportarem-se como se estivesse.

8. Sexo: A muito mais liberdade sexual hoje do que nos anos 60, mas há muito mais insegurança nas relações pessoais, na definição sexual (heterosexual ou homossexual), muito menos capacidade de intimidade e verdadeira relação de casal. O principal significado disso é que a felicidade e a realização sexual não depende somente da liberdade sexual, mas sim da filosofia sexual e da liberdade emocional.

9. Televisão, computadores e internet (TCI): Apesar de haver um desenvolvimento muito grande na area de lazer, e o desenvolvimento de lazer consumo, a televisão, o computador e a internet assumem cada vez mais uma maior porcentagem do tempo livre do individuo, criança e adulto. No mundo ocidental uma criança dedica de 5-8
(70 % de seu tempo livre) hs por dia ao TCI, um adulto 2-6 hs (70-100% de seu tempo livre). O principal significado disso é que cada vez mais temos menos criatividade e responsabilidade de dirigir de forma autonoma nosso tempo livre e portanto nossa vida, principalmente levando em conta que está será a principal atividade de nossas vidas em 20 anos mais.

10. Apostas, Alcool e Drogas: As apostas, alcool e drogas (e tambem televisão, internet, comida, compras obcessivas) tornam-se cada vez mais fatores de escapismo de um mundo real, frustrante e depressivo. O principal significado disso é que alguem está interessado em que escapemos, e nos incentiva a isso. Basta descobrir quem!!!

O movimento juvenil faz parte das estruturas socializantes do passado que já não são relevantes ante esta nova realidade.

Um novo modelo tem que responder a essa realidade e opor-se a ela, caso sigamos acreditando que o principal motivo da existencia de um movimento juvenil é a tentativa de criar um mundo melhor e mais humano.

Mas o que fazer se os proprios lideres destes movimentos foram durante toda suas vidas socializados por este sistema e acreditam em muito de seus valores? E o principal valor de que a carreira e o status social individual trazem a felicidade e a auto-satisfação?







2. Principios Basicos:

O modelo que quero apresentar neste trabalho baseia-se em 3 principais teorias psico-pedagogicas:

1. O modelo dialogico
2. A psico-pedagogia da Gestalt
3. A teoria das Inteligencias Multiplas(IM) e da Inteligencia Emocional (IE)

Tentarei em breve trazer essas tres teorias, para que possamos ter uma linguagem teoretica comum.

1. O modelo dialogico:

Seu maiaor representante é Paulo Freire

Os processos educativos como processos socializantes atuam de duas formas opostas:

1. servindo a sociedade, socializando o individuo a absorver o seu sistema de valores, comportar-se de forma "adequada", interiorizar o seu lugar e o seu papel futuro dentro da sociedade (na sociedade capitalista como futuro consumidor).
2. servindo ao individuo, socializando-o a repensar no sistema de valores, entendendo o contexto em que vive, a questionar a sua forma de ser , através de um processo de conscientização, buscando a forma ativa de criar um mundo melhor para si e para o meio em que vive, modificando, assim, a sociedade de forma critica e positiva.

Ao primeiro chamará de educação bancaria, processo no qual o educando é um mero vasilhame ao qual se vai depositando "conteudo-informatico", num processo no qual o educador é o ativo, depositante, e o educando passivo, depositario:

1. o educador é o que educado, os educandos, os que são educados;
2. o educador o que sabe, os educandos os que não sabem;
3. o educador é o que pensa, os educandos, os pensados;
4. o educador é o que diz a palavra, os educandos os que a escutam docilmente;
5. o educador o que atua, os educandos, os que tem a ilusão de atuar, na atuação do educando;
6. o educador escolhe o conteudo programatico, os educandos jamis ouvidos nesta escolha, se acomodam a ele;
7. o educador identifica a autoridade do saber com a autoridade funcional, que se opõe antagonicamente a liberdade dos educandos.

O segundo processo é o que Freire chama de educação para a liberdade. Qualquer processo educativo libertario baseia-se no dialogo entre o educador e o educando, criando assim um mundo comum aos dois. No processo dialogico não existe um lado que sabe, define, ativa, domina e outro que recebe passivamente o que o primeiro impõe.

A proposta da educação dialogica é reverter todos esses itens de tal forma que não exista mais um educador e um educando, mas sim um educador-educando em dialogo com educandos-educadores, ou seja no ato do educar, através do dialogo o educador se modifica educando-se através dos educandos, que passam a educar.

As palavras chaves neste processo são dialogo, ativismo, responsabilidade, pluralismo, criatividade, busca, igualdade e amor.





Erich Fromm define que existem dois tipos de autoridades, a autoridade aberta e a "camuflada". A primeira se declara como autoridade, impondo seu poder através da força fisica, moral ou monetaria. A ação é conseguida através do medo, do poder e da consequencia das ações (se voce não fizer será castigado, se voce não estudar, se comportar, pensar...). A autoridade camuflada, é a manipulativa, que cria um ambiente de falsa liberdade, falsa democracia, utilizando de uma tecnologia educativa manipulatica-emocional. O sistema economico atual precisa socializar a seus membros para que consumam, mas tendo a sensação que este consumo e o conteudo dele é de livre escolha. Neste caso a autoridade manipulativa é muito mais efetiva, pois ela passa despercebida.

O dialogo só é possivel se se acredita na capacidade do educando em assumir responsabilidade na escolha de sua vida e de seu conteudo. Neil, define em relação a criança e ao ser humano:

1. A criança é boa e curiosa em principio
2. O objetivo da educação é criar pessoas felizes e auto-realizadas.
3. A educação tem que estar centralizada na criança e não no conteudo.
4. Disciplina e castigo são opostos ao processo dialogico. Criam medo e raiva.
5. Dialogo é liberdade. Liberdade não é libertinagem. Esta é a autoridade nas mãos do
educando, sem a presença do educador.
6. A verdade no dialogo é a pedra fundamental no processo educacional.
7. Complexo de culpa é o principal instrumento da educação moderna. Ele deixa
marcas tão profundas como a aplicação de força fisica.

2. A psico-pedagogia da Gestalt

A teoria psicologica da Gestalt da a enfasi ao ser humano como um total, holismo, ou seja ser humano atua, pensa e sente como um todo, indivisivel, inseparavel. Podemos definir 8 principios basicos no proceso educativo da gestalt:

1. Principio do aqui e agora: a tematica a ser trabalhada se basea na realidade de "aqui e agora", ou seja a experiencia que o educando esta vivenciando neste momento, neste local. O passado e o futuro só tem sentido quando visto desde um presente.
2. Principio da concentração no contato: O contato se faz nos limites, entre o educando e o educador, entre o educando e o meio, entre o educando e a tematica. Concentrar-se no contato é ir até o limite, é buscar e provar o limite, sem medo de perder-se alem dele.
3. Principio da autoconsciencia: o processo educativo é um processo de conscientização do educando em relação a si proprio e ao meio que o rodeia. Entender esta relação e o que ela lhe faz emocionalmente.
4. Principio do estimulo do "self support" (auto-ajuda): A creditar em sí, saber buscar as forças internas para a solução dos problemas.
5. Principio do arcar com as responsabilidades: o lugar da vitima se faz na educação bancaria, pois ela torna o educando passivo. Ativar-se é assumir a responsabilidade do processo para si, definir e decidir que atitudes, comportamentos tomar.
6. Principio do aprender pela vivencia: o processo educativo se realiza através da vivencia, ativando o educando a pensar, sentir e agir.
7. Principio da gestalt fechada: Em cada processo, em cada contato, em cada aprendizado abrimos um circulo. Este circulo consome energia, enquanto não se fechar. Finalizar o processo de aprendizagem é fechar o circulo, a gestalt.
8. Principio da espontaneidade: A vivencia tem que ser realizada de forma espontanea e não forçada, imposta. So assim era será total.



3. A teoria das IM e da IE

Nos anos 80 Dr. Howard Gardner, de Harvard, definiu inteligência "como o processo de aprender e apreender a informação (cognitiva, emocional ou sensorial) e a capacidade de tomar decisões e encontrar soluções e respostas a perguntas, problemas ou dilemas. " Distinguiu oito formas de inteligência Na tabela abaixo estão concentradas estas "inteligências", suas definições, a forma de pensamento, as atividades que dão prazer, e as atividades, meios e técnicas que seriam utilizadas para desenvolver tal inteligência.
INTELIGÊNCIA CARACTERÍSTICAS PENSAM POR... GOSTAM DE... PRECISAM
VERBAL Sensibilidade a som, estrutura,sentido e função das palavras e da língua
Palavras
Ler,escrever,contar estórias,jogar jogos verbais
Livros,fitas, material escrever,papel,diário,
dialogar,discutir,estórias
LÓGICA-MATEMÁTICA Sensibilidade a processos lógicos e racionais, números, pode lidar com uma série longa de informações lógicas Números, formas lógicas, séries

Experimentar,perguntar, investigar,solucionar problemas lógicos e “chidot”, operacionar números Pesquisar, pensar sobre,material científico,manipulativos,passeio a planetário, museus
ESPACIAL Capacidade de apreender com perfeição o mundo visual, tridimensional e transformá–lo em informação verbal ou bidimensional Imagens, cores, formas Criar, construir, desenhar, esboçar Artes,lego,slides,
multmídia,jogos de imaginação,livros desenhados, passeios a museu de artes
FÍSICA DINÂMICA Capacidade de dominar o movimento e trabalhar a matéria Sensações somáticas Dançar, correr, pular, pegar, vivenciar Teatro,esporte, dança,construir, jogos físicos, experiências palpáveis,trabalhos manuais
MUSICAL Capacidade de captar ritmos, sons, transformá-los, criar em cima. Ritmo, som, música Cantar,assobiar,batucar, escutar, tocar instrumento, Cantar, tocar, concertos,
INTRA PESSOAL Capacidade de contactar-se com o lado emocional, diferenciar as emoções, entender os motivos de sua atuação e ser capaz de transmiti-los de forma efetiva Introspecção Definir objetivos, pensar em si, sonhar, viver em paz, planejar programas Cantos secretos, tempo para estar só,projetos de desenvolvimento pessoal, possibilidades de escolha
INTER PESSOAL Capacidade de definir ânimos, sentimentos, entender os motivos do comportamento dos outros e poder desenvolver uma comunicação efetiva Através de idéias dos outros Dirigir, liderar, organizar,atuar,
comunicar-se, juntar à sua volta pessoas Amigos,jogos de grupo,comissões, trabalho de grupo, eventos sociais
NATURALÍSTICA A capacidade de estar na natureza, entendê-la sem meios lógicos, simplesmente aplicando os sentidos sentidos Estar na natureza, cheirar, pegar, paladar, olhar, escutar Passeios, trabalho agrícola, animais, jardinagem


Cada pessoa possui um perfil de inteligências próprio e distinto. A definição das várias inteligências, do perfil pessoal, implicam em uma visão totalmente diferente de ensino e de sistema educacional formal e informal. O primeiro enunciado seria o de abulir no novo sistema os conceitos de educação formal e informal. Não existe mais um tempo formal e um tempo informal e inclusive um tempo a-formal de se educar. A cada instante, a cada vivência, a cada relação humana nos estamos nos educando e não há como separar esses momentos. Há que integrá-los num sistema único, com um processo de sensibilização e de conscientização de como o indivíduo aprende e apreende o mundo. O ser humano, o tempo, o espaço e a temática são vistos como um todo, visão holística do mundo.







Prof. Salovey, sentindo que as propostas do sistema educacional do Jardim de Infância às Universidades não proporcionavam as respostas à realidade atual, através do desenvolvimento cognitivo, e por conseqüência do QI, como fator preponderante na seleção social, escolas, meios profissionais, buscaram a resposta na área emocional. O postulado básico seria de que a visão racional de tomada de decisões para solução de problemas e dilemas, o desenvolvimento cognitivo através do processo básico escolar não vinga no contexto atual. definido no começo deste artigo. É necessário o desenvolvimento emocional e a capacidade de um diálogo entre o racional e o emocional. Somente uma pessoa com estrutura emocional desenvolvida teria capacidade de confrontar-se com o aumento enorme de informação e de manuseio desta, confrontar-se com o tempo livre, sem torná-lo ocioso, e com o sistema de valores mais amplo e complexo, como temos hoje em dia. Só uma estrutura emocional desenvolvida poderá confrontar-se com a massificação dos meios de comunicação e com o aumento enorme das propagandas. A necessidade de tomar decisões instintivas e emocionais exige, tanto de uma criança como de um pai ou deum profissional, um amadurecimento e um desenvolvimento emocional não promovido hoje no sistema educacional.

A definição de Inteligência Emocional partiu da teoria de Gardner. Outro autor, Salovey, definiu como Inteligência Emocional, as inteligências intra-pessoal e inter-pessoal, ou seja a capacidade de criar processos introspectivos, estar em contato com as próprias emoções, sensações, entender suas necessidades, vontades, assumir suas qualidades e poder confrontar- se com os lados mais débeis, negativos. Por outro lado, a capacidade de criar uma relação empática e uma comunicação positiva com o outro. Solovey definiu "Q.E." como quoeficiente emocional, paralelo ao Q.I.

O desenvolvimento do Q.E. se faz em cinco áreas:

1. Identificação: desenvolver a capacidade de identificar situações emocionais, necessidades, vontades. Identificar como me comporto, com quem e em que contexto. Identificar minhas reações sensoriais, emocionais e racionais em situações diárias, problemáticas.

2. Conscientização: desenvolver as capacidades de entender o porquê, as origens dos processos identificados e encontrar respostas racionais, emocionais e sensoriais adequadas a estas situações.

3. Atitude: Desenvolver uma visão positiva, otimista, de cooperação, capacidade de assumir a responsabilidade de seus atos e de ver as situações em suas devidas proporções.

4. Empatia: desenvolver a capacidade empática das pessoas, de tal modo que sejam capazes de, mesmo com posicionamento contrário, racional, emocional ou valores, colocar-se no lugar do outro e entendê-lo.

5. Comunicação positiva: desenvolver a capacidade de expressar-se de forma positiva e efetiva, de forma que o outro tenha a possibilidade de absorver e apreender o dito ou feito.










4. A Prática Educacional

Podemos traduzir esses tres modelos teoricos em principios aplicativos ao processo educacional:

1. Em vez de um sistema formal e informal, um sistema integrativo

Se até hoje o sistema formal era responsável pelas inteligências lógico-matemáticas e verbal e o informal pelas demais, passa a haver uma integração dos dois, através do relacionamento constante das 8 inteligências e a criação do espaço físico de acordo.

2. Em vez de um espaço físico limitado e geral, a diversificação dos espaços

A sala de aula, principal espaço educacional, perde sua força e passa a ser um dos espaços. Espaços abertos, natureza, salas de dança, teatro, artes, passam a ter a mesma importância no processo educacional, assim como seus derivados.

3. Em vez de uma estrutura centralizada, a descentralização

O sistema educacional passa a ser de responsabilidade da comunidade e de seus membros - pais, alunos e professores, sem um poder centralizador, a não ser no apoio econômico e profissional.

4. Em vez de escolas massificadas, mini-escolas

Em sistemas menores é mais fácil desenvolver programas individuais, nos quais há uma total participação do educando. Assim se torna mais fácil suprir as necessidades da comunidade educativa, na qual pais, filhos e professores tornam-se educadores e educandos num processo mútuo de aprendizagem e mudança.

5. Em vez de seleção, incentivo

O objetivo do educador é de desenvolver as capacidades e o perfil individual de cada um. Assim sendo, não há como selecionar e criar um sistema competitivo, comparativo. A competição não é valida como um meio educativo. Não há notas externas e exames para comprovar aprendizado. As notas eliminam qualquer vontade em estudar. Elas estão relacionadas com o mercado de empregos e o sistema elitizante de nossa sociedade.

6. Em vez de uma programação fixa, aprendizagem individual e criativa

O curriculum não permite uma aprendizagem verdadeira, criando uma massificação da mesma. O educador tem que ensinar a todos, num tempo determinado um conteúdo determinado. Ou seja, acaba por educar somente aqueles que são capazes de absorver neste tempo um conteúdo definido. O conteúdo do curriculum tem que ser aberto, definido entre o educando e o educador, sendo que o desenvolvimento da aprendizagem pode ser avaliado somente entre os dois.









7. Em vez de ensino de matérias isoladas, ensino de unidades temáticas

Os temas serão fixados a três níveis:1. comunidade-pais, educandos e educadores; 2. grupos - entre o educador e o grupo de educandos; 3. Individual- entre o educando e o educador. Desta forma o curriculum apresenta as necessidades e as vontades de toda comunidade a nível comunitário, grupal e individual. As definições em todos os níveis são tomadas através de um processo de diálogo entre as diferentes partes.

8. Em vez de um processo cognitivo, um processo holístico

A aprendizagem baseia-se em processo cognitivo, emocional e sensorial. Qualquer aprendizado envolve esses três níveis que tem que ser trabalhados em tempo único. A base teórica e metodológica é baseada na teoria das inteligências múltiplas.

9. Em vez de reprimir o movimento, incentivá-lo

Os movimentos, as interferências, as inquietudes nos dizem muito a respeito do educando, a relação dele com o meio e o processo educativo. Reprimi-los seria como reprimir uma dor de cabeça sem saber as origens da mesma. Incentivar seria criar um processo de identificação e conscientização de uma situação determinada.

10. Em vez de um sistema obrigatório, um sistema voluntário

O educando escolhe os conteúdos e os marcos que gostaria de estudar. Ele tem a liberdade de definir seu processo educativo, num diálogo com os pais e o educador, assumindo plena responsabilidade deste processo, sendo orientado, apoiado e incentivado tanto pelos pais como pelos educadores.

11. Em vez de um processo passivo, um processo vivencial

O processo holístico educacional se faz através das vivências, das experiências. Estas nos põem em contanto com processos cognitivos, emocionais e sensoriais, assim aprendendo e apreendendo o mundo.

12. Em vez de educar pelo medo , educar pelo amor

A educação pelo medo é a imposição do respeito pelo medo a autoridade, através de castigos, notas, manipulações emocionais. Ao contario, a educação pelo amor é a imposição do respeito mutuo, atraves do dialogo, no respeito pelo outro em sua totalidade, na confiança no outro, na vontade e na capacidade de dar e receber.

13. Em vez de educação bancaria, educação para a liberdade

Educar sem preconceitos, em um sistema igualitario, no qual se aceita o outro, o diferente em sua totalidade, sem medo, sem preconceito. Educação para a liberdade de ser o que se quer ser.

14. Em vez de educar para TER, educar para SER

Educar ao ser humano e não ao cidadão. Educar para ser, para ser humano, feliz e realizado em sua vivencia aqui e agora, sendo consciente de seus pensamentos, sentimentos, valores e daqueles que o rodeiam, aqui e agora; e não educar para ter, servindo aos interesses da sociedade e consumindo como objetivo e não meio, alienado de qualquer realidade propria ou de seu meio.






5. A educação como pratica a liberdade

5.1. Reflexão

O modelo, a tecnologia e a psico-pedagogia educacional são faceis de serem transmitidas e não tão dificeis de serem aplicadas; mas nada disso tem sentido se o proprio educador não passou um processo de liberdade, de liberar-se de seus preconceitos em todos os niveis. Como poderá manter uma relação educador-educando se ele ainda não consegue manter uma relação de educando-educador?; como poderá educar para a liberdade sexual se ele proprio ainda não se liberou?; como poderá educar em base ao amor, se ele proprio ainda se auto-educa pelo medo?; como poderá ele educar acreditando na curiosidade e na capacidade da criança, se ele não acredita em sua propria capacidade?; como poderá educar para a critica, se ele proprio é produto da socialização passiva?; e de forma geral como poderá educar para a liberdade e para a mudança se ele proprio é escravo de seus pré-conceitos e de seu conformismo?

O processo que proponho para este mês é um processo de liberdade, de introspecção e de revisão do seu Ser Humano.

Este processo acontece de forma espiral, criando um processo crescente de:

1. Identificação
2. conscientização
3. Atitude em relação a vida
4, empatia
5. Relações interpessoais e com o meio

Neste processo o educando se conscientizará da relação macro-micro da liberdade. Para liberar uma sociedade é preciso liberar-se a sí.

2. Ação

Marco termporal: 5 dias por semana, 3-4 horas por dia, num total de 24 dias.

Dia domingo 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira
Tecnica Teatro como pratica a liberdade Expressão corporal Artes como pratica a liberdade Visita a marcos educacionais O dialogo como pratica a liberdade
Tematica O teatro como processo de critica social "teatro comunitario", "teatro do oprimido", "teatro da liberdade" O movimento, as cores, a musica e o som, o contato fisico como processo de liberação dos medos, do outro – "expressão corporal", "a couraça sexual", "energia cinetica e liberdade" Como processo de critica politica – materialismo, propaganda e consumo, ecologia, globalização, capitalismo. Visita a instituições especiais e interessantes que possam ajudar na criação de um novo modelo- escola democratica, open school, grupo Ishmael, fazenda ecologica Um momento de reflexão sobre o processo semanal – emoções, ideias e pensamentos, qualquer reflexão que passe pela cabeça-coração.

Um grupo de trabalho pode conter no maximo 15 pessoas para que possa existir uma relação verdadeira de ação-reflexão e de dialogo num ambiente intimo e seguro, possibilitando ao educando expor-se sem medos.






6. Costos

$35.oo por participante por dia.
O preço inclue: workshops, apostilas ou CDs, material didatico.
O preço não inclue VAT, material, onibus, entradas.

Estou a disposição para qualquer esclaracimento.





Lehitraot,

_________________
Davi Windholz

Exibições: 283

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de Eva Landa em 23 julho 2016 às 17:03

Tudo muito bonito, mas Davi foi o guia de Caetano Veloso em Israel, e este voltou pensando em boicotar Israel. A pedagogia nesse caso funcionou mal. Creio que ao contrario os jovens continuam tendo tendência a ser de esquerda e voltados para o outro, mas como disse Applefeld, a auto-critica desmesurada entre os judeus constitui uma das maravilhas da natureza. Como identificar-se a esse pais tão denegrido, para além da critica razoavel e necessaria?

Comentário de Jayme Fucs Bar em 23 julho 2016 às 12:46

SOCIEDADE ALTERNATIVA E EDUCAÇÃO COMO PRATICA A LIBERDADE - DAVI WINDHOLZ

Comentário de Jayme Fucs Bar em 17 abril 2015 às 13:52

SOCIEDADE ALTERNATIVA E EDUCAÇÃO COMO PRATICA A LIBERDADE - DAVI WINDHOLZ

Comentário de Jayme Fucs Bar em 29 novembro 2014 às 5:13

SOCIEDADE ALTERNATIVA E EDUCAÇÃO COMO PRATICA A LIBERDADE - DAVI WINDHOLZ

Comentário de Sérgio Storch em 16 fevereiro 2011 às 6:44

Oi Jayme, me interessa o Davy, não só para palestra no JH, mas para a Escola de Redes, em que participo, e onde o tema da educação informal tem sido bem aprofundado. Será legal passar para o Davy conhecer, e ele talvez possa ser palestrante no próximo encontro da Rede Vivo Educação. Veja link com os materiais do anterior. Vou também me conectar com o Davy aqui no site.

 

Você me pode me enviar o email do Yeoshua? Fiquei muito contente com a notícia, e gostaria de conversar com ele desde já.

 

Um abração

Sérgio

Comentário de Jayme Fucs Bar em 16 fevereiro 2011 às 3:16

Sergio, esse Texto e do Davy, membro do nosso site, um paulista que vivem em Israel a muitos anos experto no tema de educacao alternativa, ele vai a SP todo ano se te interessar podemos marcar uma palestra dele para o grupo do JH de SP e assim vc tera a oportunidade cohence-lo pessoalmente.

Yeoshua Raz, vai em julho ser o novo sheleiach do HH do Brasil, porem vai estar no RJ.

Abraco

 

Jayme

 

Comentário de Sérgio Storch em 15 fevereiro 2011 às 23:14

Jayme, esses fundamentos educacionais me interessam muito. Tenho estudado isso em várias redes.

E me interessam especialmente aqui, para a formulação deste movimento e, em particular, para uma programação de Bat e Bar Mitzvá, que eu espero montar (leia aqui), como foi feito aqui pelo Yehoshua, mazkir do Hashomer em 1992-1993. Meu filho fez o Ma´avar que ele trouxe de Israel.

Um abraço, e obrigado pelos ótimos textos que você tem enviado.

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço