JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Como combater o antissemitismo e o antissionismo online - Israelnaweb

A internet está repleta de informações úteis e interessantes, mas também é um terreno fértil para a ação daqueles que parecem dedicar os dias na tarefa de difamar Israel e os judeus. Se você já esbarrou com algum conteúdo deste tipo em sites, blogs, redes sociais ou áreas de comentários, saiba que não é preciso deixar estas pessoas falando sozinhas. Você também pode usar os recursos da Web 2.0 para expressar sua opinião.

Nós, do projeto Israel na Web, preparamos um pequeno guia para você defender Israel e os judeus de uma forma simples e eficaz. Seguindo os passos abaixo e dedicando um pouquinho do seu tempo, você já estará contribuindo muito para contrapor a mentira e a desinformação.

Boa sorte e obrigado por sua participação!

1) Siga as regras convívio social

Ao contrário do que acontecia antes na internet, quando poucas pessoas falavam e o resto ouvia, agora todo mundo fala e todo mundo ouve. Por isso, a Web 2.0 também é conhecida como "web social". Então, uma das primeiras coisas que se deve aprender é que as regrinhas de convivência social que usamos (ou deveríamos usar) no mundo "real" também valem para o ambiente online. Por exemplo:
•Não é por que alguém só sabe discutir gritando e xingando que devemos agir da mesma forma. Pelo contrário, devemos sempre manter a calma e rebater acusações falsas com informações corretas.

•Esses que só sabem gritar e xingar certamente não vão mudar de opinião, não importa que argumentos você apresente. Mas é importante não fugir do debate, pois se eles falarem sozinhos vão acabar influenciando a grande maioria que está só assistindo à conversa.

•Não tente convencer as pessoas que o seu lado da discussão está 100% certo e o outro 100% errado. Todo mundo sabe que ninguém é perfeito, nem as pessoas nem os países. Reconhecer que o lado que você defende pode agir errado fortalece seus argumentos.

•O que nós achamos sobre um assunto importa pouco. O que vale são as informações que trazemos para as discussões. Então, deixe o "achismo" de lado e faça o seu dever de casa: informe-se e esteja preparado para debater.

2) Forneça informações relevantes ao debate

Aqui no site Israel na Web há dezenas de textos e vídeos que podem te ajudar a preparar-se melhor para contrapor acusações contra Israel e os judeus. Aproveite! Sempre que se deparar com alguma acusação, procure a resposta entre os Temas listados ou use o campo de busca no alto da página inicial. (Veja na seção Ajuda mais orientações sobre como encontrar e compartilhar as informações deste site.)

3) Respeite o perfil das pessoas

Uma das maiores vantagens da "web social" é podermos compartilhar informações com pessoas que conhecemos - amigos, colegas de turma ou de trabalho, gente com quem temos interesses comuns. Mas é importante saber que cada um de nós tem um perfil diferente.

No seu círculo de amizades virtuais certamente há (ou haverá) judeus, cristãos, homens, mulheres, jovens, idosos, gente de esquerda, de direita e mais um monte de outros perfis de pessoas. Por isso, a informação que você compartilha deve estar de acordo com o perfil de que vai receber.

Eu, por exemplo, muita gente não tem nada contra os gays e adorariam saber que em Israel eles têm toda liberdade para namorar em público. Mas outros, como muitos de nossos amigos evangélicos, não vêem isso com bons olhos. Então, nunca mande para eles material do tipo fotos da Parada Gay de Tel Aviv. Isso é respeitar o perfil das pessoas.

Para facilitar sua vida, as informações do Israel na Web também estão agrupadas por Perfis. Então, antes de mandar algo sobre Israel e os judeus para outras pessoas, pense bem que perfil elas têm e se gostarão de receber este tipo de informação.

4) Seja econômico

Não afogue seus conhecidos, principalmente os não-judeus, em um mar de informações sobre Israel. Este tema tem grande importância em minha vida e deve ter também na sua, mas provavelmente não na deles. Selecione bem o que você vai compartilhar.

5) Seja sucinto

Na internet, quem fala demais acaba sendo pouco ouvido. Melhor falar pouco e mandar um link para mais informações sobre o assunto. Por exemplo, se alguém diz que o problema do Oriente Médio é que Israel tomou territórios dos palestinos, você pode responder:

"Caro Fulano, acho que você está mal informado. O maior problema no Oriente Médio é que os árabes não aceitaram a Partilha da Palestina que a ONU determinou em 1947 e estão até hoje em guerra contra Israel. Este vídeo explica muita coisa: http://t.co/WUlruGB".

Vejam que esta resposta, que já é bem curta, ainda é grande demais para redes como o Twitter. Então, treinem bastante: enxuguem, enxuguem mais e depois mais um pouquinho.

6) Não seja insensível

Lembre-se que, não importa qual lado de um conflito esteja com a razão, há sempre vítimas inocentes dos dois lados. Quando for discutir alguma notícia envolvendo mortes de civis, mostre que você se importa com a perda de vidas humanas antes de justificar as ações que levaram a ela.

7) Não entre em bate-bocas

Saiba que a maioria das pessoas não participa dos debates online, apenas assiste. É nelas que você deve pensar, não nos intolerantes que só estão lá para cuspir marimbondos. No exemplo de resposta que eu dei acima, certamente o vídeo indicado não vai mudar em nada a opinião do antissionista convicto a quem você respondeu, mas certamente será assistido por muita gente que ainda não tem opinião formada sobre o assunto.

8) Não responda a ataques antissemitas

Caso você se depare com algum comentário explicitamente antissemita, não perca tempo respondendo ao autor. Qualquer tipo de manifestação pública de racismo, incluindo antissemitismo, é considerado crime no Brasil. Além disso, é proibido pela maioria dos sites noticiosos. Então, a primeira coisa a fazer é denunciar este comentário aos moderadores do site. Muitos têm botões específicos para este fim. Depois, veja se o comentário foi retirado. Caso não seja, envie o link da página para a Confederação Israelita do Brasil, que possui uma estrutura jurídica para lidar com estes casos.

http://www.israelnaweb.com/site/index.php?option=com_content&vi...

Exibições: 225

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

Comentário de Cema Milicich em 6 junho 2012 às 18:45

Quero pedir desculpas por tanto erros deste vernaculo ( Portugues). A gente com tanto ingles, termina perendo a pratica, mas a essencia ai esta- nunca se perde.

Comentário de Cema Milicich em 6 junho 2012 às 18:43

Shalom,

Excellente Projeto. O que precisamos e educar ( inclusive a midia- frequentemente desenformados).Existe tambem uma web  ( em ingles) , onde coleto informacoes historicas para mobilisar discussoes aqui com os alunos que tenho. Eles ajudam ate no planejamento ( Lesson plan). Poucos professores daqui usam este material.Parecem que teem medo de levantar o assunto entre os estudantes.www.procon.org ( Pros and cons on Controversial issues). Acreito que honestreport.com tambem focaliza neste projeto.   

Comentário de ruthiar em 2 junho 2012 às 20:57

Muito válido, inclusive para outros assuntos relevantes.

Comentário de marco antonio figueiredo em 2 junho 2012 às 13:44

Parabéns ! Jaime, sera  com atitudes coerentes  e com informações claras como a sua que  a paz entre todos um dia ser alcançada

Agradeço as demais matérias que venho acompanhando, mas por falta de tempo não lhe tenho dado um feedback.

Comentário de Gilson Sanchez Chia em 2 junho 2012 às 10:16

Shalom!, gostei muito!

Comentário de Noel Carlos de Souza em 1 junho 2012 às 23:54

MUITO BEM JAIME, MUITA RICA AS INFORMAÇÕES E OPORTUNA, PRECISAMOS NOS UNIR PARA DEFESA DE ISRAEL E NOSSO POVO.

© 2019   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço