JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

O significado

 

Judaísmo não inventou nada, tanto quanto ele descobriu, ângulos, perspectivas, não necessariamente o que os outros viam.

 

É por isso que na linguagem religiosa a palavra usada para descrever este fenômeno é "revelação". Algo que está lá é revelado. O que é revelado é que é o ser humano e como funciona a vida.

 

A partir daí, com base no conhecimento adquirido, o passo seguinte foi conceber comportamentos como agir na vida em tanto que ser humano.

 

O ser humano, ou, se preferir, a natureza humana, no entanto, não é estática, imutável. A través do conhecimento adquirido como resultado de sua interação com o resto do mundo a humanidade muda. Que religião chama "revelações" são constantes.

 

A "revelação" é sempre parcial; lança luz sobre o momento, talvez até um pouco sobre o futuro. A revelação, no entanto, nunca é completa. Há sempre algo que ainda está para ser descoberto, ser revelado..

 

O Talmud conta a história de Moisés, que estava sentado em uma sessão de estudo com o rabino Akiva, (um dos professores mais importantes do judaísmo que viveu mais de mil anos depois dele). Moisés não entendia uma palavra do que ele estava dizendo. Seu único consolo veio quando um aluno perguntou o rabino Akiva: "Mestre, qual é a origem dessa decisão" Ele disse: "É uma lei dada a Moisés no Sinai."

 

O entendimento é que o conhecimento humano é cumulativo. Cada geração é no ombro daquela que o precedeu. Embora dependente da anterior para se sentar em seus ombros, ganhou agora uma nova perspectiva. Ela vê algo que as gerações anteriores forçosamente, não podiam ver.

 

Uma geração que não produz uma nova descoberta que não "cria" algo novo, empobrece o mundo. Certamente ele não atende o principal compromisso do judaísmo: "continuação da obra da criação."

 

Não é só trazendo mais filhos ao mundo que o mundo é criado, mas ajudando-os a compreender como pensar.

 

Os judeus estão constantemente descobrindo como fazer as coisas que não foram feitas antes, e melhorando aquelas que já foram feitas. Desde o início eles são ensinados a ser curioso e assumir riscos.

 

Sem dúvida não é fácil tomar esta atitude na vida. Há muitos erros, talvez mais do que realizações. No entanto, esta é a forma como um judeu é ensinado a pensar, porque, quando as realizações ocorrem geralmente são incomparável em sua magnitude e importância.

 

Esta disposição na vida requer um caractere especial. Alguns chamam isso ser de "dura cerviz" outros "arrogância". É a convicção de que este povo não foi escolhido para ser permitido o luxo de ficar fora das coisas.

 

Há uma maneira judaica de pensar. Há uma forma de ser judeu. É exigente, é difícil, mas também gratificante, pois permite que esses picos onde o judeu olha para trás e um pouco para a frente permite ele dizer que houve uma razão que ele vim a este mundo ... e ele realizo.

 

Perceber a razão da nossa existência temporária no mundo é a fonte do sentimento de realização individual.

 

Rosh Hashaná, Yom Kippur e os dias no meio, apresentam uma oportunidade para rever e refletir sobre os erros e as realizações. Eles também são uma fonte de inspiração para encontrar essas ações que fazem nos humanos.

Exibições: 490

Comentar

Você precisa ser um membro de JUDAISMO HUMANISTA para adicionar comentários!

Entrar em JUDAISMO HUMANISTA

© 2020   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço