JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

Informação

Bnei Anussim

A iniciativa de criar um grupo sobre os Anussim , tem como objetivo de ampliar as discuções e informações sobre esse importante tema.

Membros: 70
Última atividade: 11 horas atrás

Fórum de discussão

Messias em terras Portuguesas – Jayme Fucs Bar

Iniciado por Jayme Fucs Bar 11 horas atrás . 0 Respostas

Messias em terras Portuguesas – Jayme Fucs BarDessa vez venho compartilhar com vocês amigos e leitores um tema quase esquecido e pouco divulgado na história Judaica que é o período messiânico dos…Continuar

Branca Gonçalves - A Ruth dos Bnei Anussim em Tras - os Montes -

Iniciado por Jayme Fucs Bar 2 Jun. 0 Respostas

Era um dia claro e tranquilo na região de Tras – os - Montes antiga rua da Judiaria em Miranda do Douro com suas lindas casas bem decoradas, com suas flores em suas janelas, onde ainda mostrava a…Continuar

I Seder Sefaradi Anussim no Rio de Janeiro

Iniciado por Jayme Fucs Bar 27 Mar. 0 Respostas

I Seder Sefaradi Anussim no Rio de JaneiroVenha celebrar com sua família do nossoI SEDER SEFARADI-ANUSSIM NO RIO DE…Continuar

Doña Gracia Nasi

Iniciado por Jayme Fucs Bar. Última resposta de Jayme Fucs Bar 25 Mar. 1 Resposta

A Europa renascentista do séc. 16, os horrores da Inquisição e o poderio do Império Otomano são o pano de fundo Para a vida de Doña Gracia Nasi. nascida em portugal, O destino a coloca, ainda jovem,…Continuar

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Bnei Anussim para adicionar comentários!

Comentário de Marcelo Barzilai em 21 novembro 2013 às 19:23
Comentário de Sérgio Freitas de Oliveira em 15 novembro 2013 às 22:11

Acho bom buscar as nossas origens; independente de quais sejam. O que permeia a necessidade humana de reconhecimento pessoal passa primeiro pela necessidade de conhecer a si próprio e sua origem. Isto é uma necessidade inata do indivíduo em qualquer sociedade.

A busca da dignidade pessoal questiona nossas origens e, principalmente procura harmoniza-la com práticas seculares e espirituais com as quais nós nos identificamos mais.

O que devemos evitar é procurar o "fio da meada" a qualquer custo para justificar afinidades culturais pois, o que deveria ser uma busca prazerosa para trazer paz razão; poderá tornar-se uma uma experiência desapontadora.

Sendo brasileiro; tenho plena consciência da "grand melange " que nós somos como povo; ao mesmo tempo em que reconheço a grande influência da judaíca ( como de outros povos ) na cultura verde-amarela.

Por fim, eu busco "ouvir meu coração" sem muito me importar com a existência efetiva ascendência judaica em minha família. Sinto-me bem em buscar o conhecimento judaico, estudar as escrituras, seguir as datas importantes do calendário judaico e, por fim me sentir como parte do povo judeu; isso é que me leva a um verdadeiro júbilo, procurando observar as ordenanças do Eterno e reconhecimento do Direito Divino de ver o criador no próximo.

Certo dia li que quando voltarmos ao Eterno ele possivelmente não perguntará de que religião você fez parte; mas o que de bom e o cuidado que voçê teve com a criação e seu próximo.

Shabat Shalom.

Sérgio Freitas Oliveira

Comentário de Albo Berro Rodrigues em 15 novembro 2013 às 17:11

Caro Antônio, somente o sobrenome não indica muita coisa, pois estes sobrenomes foram adotados por judeus, não quer dizer que sejam 100% sobrenomes judaicos, pois eram na maioria pertencentes a portugueses e espanhóis (não-judeus). Mas se nutre este sentimento, como diriam nossos rabinos é porque tem uma "alma judaica), já é um ponto de começo. A partir deste sentimento busca-se reconstruir a arvore genealógica de sua família a fim de provar sua judaicidade.
Este processo pode ser difícil, por isso, tente escrever a história de sua família, contando costumes peculiares, que estes sim tem um peso maior do que somente o sobrenome. Costumes como varrer a casa da frente para os fundos, não realizar nada de trabalho ao cair da sexta-feira, não derramar sal em casa, não deixar os "pés da cama" virados para a porta de entrada do quarto, banhar o corpo do morto e envolve-lo em morta-lha, etc.

Espero ter ajudado! Shabat Shalom

Comentário de Antônio Lídio Gomes em 15 novembro 2013 às 15:55

Jayme, tenho sobrenome Gomes. Sempre nutri uma simpátia muito forte pelo judaísmo. como saber se sou descendente?

Comentário de Marcos Moreira da silva em 15 novembro 2013 às 2:10

Neste domingo estarei no vao do masp na av paulista para reunir a todos chaverim que desejam fazer parte da comunidade beit israel em são paulo .
Apartir das 15;OO horas, com a presença Nurit, cineasta israelense Forte abraço... sigamos confiantes e esperançosos de que nossas metas serão alcançadas de acordo com os desígnios e vontade de nosso Criador, Bentido Seja... Laila Tov...
RAV :Mordechai Moré

Comentário de Adam David em 22 outubro 2013 às 8:26
Comentário de Adam David em 17 outubro 2013 às 8:24

Shalom a todos, sugeria que todos fizessem uma abaixo assinado pedindo a revista morashá que nus doasse exemplares e também ao chabad.org que nus doe sua revista eletronica e convidar também a editora SEFÉR para ser nossa parceira nus vendendo livros com desconto especial tenho certeza que o Jairro apreciará com carrinho, :sugeria também que convidassemos os Rabinos Moré ventura e Nilton Bonder aqui do Brasil, e o Rabino Dr AKIVA Gamaliel Bellk de Jerusalém todos estes orgãos citados poderão nus ajudar muito,como também estas pessoas são de facíl convivência e muito dócil 

Comentário de Mario Celso de Moraes em 18 janeiro 2013 às 1:08

Tenho enorme respeito e admiração por  Jayme Fucs Bar.

Seu trabalho e dedicação aqui são fantásticos.

Shalom.

Comentário de Marcos Moreira da silva em 24 agosto 2012 às 19:06
Comentário de alipio feitosa marques em 5 maio 2012 às 0:06

obrigado pela resepção .

 

Membros (70)

 
 
 

© 2017   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço