JUDAISMO HUMANISTA

O Judaismo Humanista é a pratica da liberdade e dignidade humana

SEFARAD - Resgate de uma História.

Informação

SEFARAD - Resgate de uma História.

Espaço Judaico Humanista destinado à SEFARAD.

Matérias, curiosidades, eventos e tudo mais que se refira aos Judeus Oriundos da Península Hibérica ou Império Otomano.

Local: Brasil
Membros: 57
Última atividade: 1 Abr, 2017

A HISTÓRIA DOS SEFARADITAS.

Sefardita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Decreto de Alhambra, promulgado pelos Reis Católicos ordenando a expulsão ou conversão forçada da população judaica da Espanha, e levando à fuga e dispersão dos sefarditas pelo Magrebe, Médio Oriente e sudeste da Europa.

Sefarditas (em hebraico ספרדים, sefardi; no plural, sefardim) é o termo usado para referir aos descendentes de Judeus originários de Portugal, Espanha, etc. A palavra tem origem na denominação hebraica para designar a Península Ibérica (Sefarad ספרד ).

Os sefarditas fugiram das perseguições que lhes foram movidas na Península Ibérica na inquisição espanhola (1478 -1834), onde eram perseguidos pela Igreja Católica, dirigindo-se a vários outros territórios. Uma grande parte fugiu para o norte de África, onde viveram durante séculos. Milhares se refugiaram no Novo Mundo, principalmente Brasil e México, onde nos dias atuais concentram milhares de descendentes dos fugitivos. Os sefarditas são divididos hoje em Ocidentais e Orientais. Os Ocidentais são os chamados judeus hispano-portugueses, enquanto os orientais são os sefardim que viveram no Império Otomano.

Com o advento do sionismo e particularmente após a crise israeli-árabe de 1967, quando as minorias judaicas nos países árabes foram alvo de ataques, muitos dos judeus vivendo em países árabes foram viver em Israel, onde formam hoje um importante segmento da população, com uma tradição cultural diferente dos outros asquenazi.

Por isso, o termo sefardita é frequentemente usado em Israel hoje para referir os Judeus oriundos do norte de África. Entretanto é um erro referir-se genericamente à todos os judeus norte-africanos e dos países árabes como sefardim. Os judeus mais antigos destes países são chamados Mizrachim (de Mizrach, o Oriente), ou seja, orientais.

Houve importantes comunidades sefarditas nos países árabes, quase sempre conflitivas com as comunidades autóctones, sobretudo no Egito, Tunísia e Síria. São judeus hispanicos que quase sempre se opõem à Qabbala sefardita e mantêm um serviço religioso bem disciplinado e de melodias suaves. O rito ocidental é conhecido como Castelhano-Português.

Os Sefarditas foram responsáveis por boa parte do desenvolvimento da Cabaláh medieval e muitos rabinos sefarditas escreveram importantes tratados judaicos que são usados até hoje em tratados e em estudos importantes.

Fórum de discussão

Judeus de Sefarad - Revista Morasha

Iniciado por Jayme Fucs Bar 19 Set, 2015. 0 Respostas

A saga dos judeus na Espanha acabou tragicamente em 1492, quando os Reis Católicos determinaram que nenhum deles poderia mais viver em seus domínios. Mais de 200 mil tiveram que decidir entre se…Continuar

Curso na PUC-SP aborda a trajetória dos judeus – da Época de Ouro, na Península Ibérica, ao surgimento Estado de Israel.

Iniciado por Jayme Fucs Bar 24 Abr, 2013. 0 Respostas

Acontece de 7 de maio a 27 de junho o curso de História Judaica da Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP, ministrado pelo professor Mauro David Cukierkorn. A Cátedra é resultado de uma parceria do…Continuar

Uma visita ao cemitério dos judeus do Recife em NY - Gustavo Chacra no estadao.com

Iniciado por Jayme Fucs Bar. Última resposta de Shmuel de Mattos 20 Jul, 2012. 4 Respostas

Texto baseado em reportagem minha publicada na edição do Estadão deste domingo. Honestamente, é das mais matérias que eu mais me orgulho de ter feito aqui em Nova York Entre prédios com tinta…Continuar

'A mão e a luva': judeus marroquinos em Israel e na Amazônia: similaridades e diferenças na construção das identidades étnicas - Tese de Doutorado - Autor Wagner Borges de Almeida Lins

Iniciado por Jayme Fucs Bar 25 Jun, 2012. 0 Respostas

 Resumo em portuguêsTodas as pesquisas empreendeidas sobre os judeus na região amazônica sempre preferiram enfatizar como os judeus chegaram à região, as razões que impulsionaram este processo de…Continuar

Tags: amazônica, região, na, judeus

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de SEFARAD - Resgate de uma História. para adicionar comentários!

Comentário de Jimmy Ortiz y Luna em 13 abril 2014 às 11:32

kiero augurar Fiesta de Pesah alegre , salud buena i sin mankura de ningunos

Tengash todos i en famiya  Semanada buena !

Chag Pessach Sameach!

Comentário de Jimmy Ortiz y Luna em 25 março 2014 às 13:30
Comentário de Jimmy Ortiz y Luna em 28 janeiro 2014 às 9:50

Es ke Sefaradim pueden tornar a Espanya?

me llego este articulo interesante de "LadinoKomunita y deseo compartirlo :

Oy salio un artikolo muy largo i muy enteresante artikolo en el Jewish
Daily Forward, diario djudio-norteamerikano, tratando del estado de la
ley espanyola (i de la portugeza tambien) ke promete dar la
nasionalidad espanyola a los sefaradim.  El autor, desendiente de los
primeros sefaradim ke yegaron a Norte Amerika en 1654, i teniendo en
su mano el papel mostrando la arvole de su desendensia desde los
1600s, viaja a Espanya en bushkeda de obtener nasionalita espanyola, i
va a varias sivdades por konoser sus raises en eyas, i abolta mas
desatado de akeyas raises, i mas desenteresado en "retornar" a ser
espanyol.  En esto todo, mos eksplika el krisis ekonomiko i sosietal
de Espanya, la politika detras de las leyes i los pasos de atirar
sefaradim i judios, el estado de las komunidades djudias, de los
konversos ke se estan konvertiendo al judaismo, i mas i mas.   Konklye
kon una vijita al viejo semeterio de Shearith Israel en Chatham Square
de New York, el mas viejo semeterio djudio en la Amerika.  (Shearith
Israel, la kehila espanyol-portugeza, fue fondada de los primeros 23
djudios ke yegaron de Recife, Brazil, a New Amsterdam, agora New York
City, en 1654. ) Es un chiko semeterio, serrado desde los 1820s.

El artikolo, eskrito por Josh Nathan-Kazis,  es entitulado "Can
Sephardic Jews Go Home Again — 500 Years After the Inquisition?" (Es
ke los Sefaradim pueden retornar a kaza - despues de 500 anyos desde
la Inkizision?) i se topa en:
http://m.forward.com/articles/191376/can-sephardic-jews-go-home-aga...

Del artilolo, aki vos vo dezir solo ke ni en Espanya ni en Portugal no ay dainda un
proseso para desidar komo  se puede dar la nasionalidad del pais, o
ken es el ke se konsidera sefaradi, i komo se puede desidar ken es i
ken no.  I  la kestion es tan komplikada ke no ay dinguna manera ke
este proseso se puede spesifikar i aktualizar.  Ni un pais ni otro dainda no dieron un pasaporto de nasionalidad a algun sefaradi ke izo la aplikasion!

I una nota mia:  el titolo aze un yerro ke vemos muncho en eskritos
populares - el mesklar la Ekspulsion i la Inkizision.  El dekreto de
ekspulsion de los judios es de 1492.  La Inkizision se establesio en
Espanya en 1478, i se anulo solo en 1834.   Ma es posible ke es el
editor del jurnal i no el eskritor ke metio esta fraza en el titulo.
El artikolo  me plazio muncho i lo meldi kon grande entereso.  Se ve
muy klaramente  ke el mansevo eskritor konose muy bien la estoria
sefaradi.  (A el lo vesh en el video ke se topa en el sitio.  A los ke saven ingles, rekomendo ke lo sientan avlar de su vijita a Lucena.)

Rachel Amado Bortnick
Dallas, Texas

Comentário de magno alves nunes em 29 novembro 2013 às 14:01

OLA A TODOS SOU GAUCHO MORRO EM PIRATINI DIVIZA COM URUGUAI, MEU BISAVO ERA UM SEFARAD, MIGROU DOS AÇORES PARA O BRASIL 

Comentário de Shmuel de Mattos em 20 julho 2012 às 15:16

 

E de onde voces pensam ter vindo o antigo habito das donas de casa do Brasil de cozinhar as coisas na Sexta Feira, de limpar toda a casa e lavar as roupas? Sexta era “o dia da faxina para fim de semana”!

O Rabino Sh'muel (Sam) Cohon, da Califórnia, me disse que em sua família havia uma empregada Brasileira que tinha o habito de se fechar em seu quarto todas as Sextas ao por do sol. Depois saia, meio desconfiada, e continuava as suas atividades. Desconfiado de algo, um dia seus pais foram checar o que havia e viram que em sua mesa havia uma pequena vela e um cesto de vime. Interpelada ela disse que a sua família tinha esse habito: Fechavam a casa, as portas e janelas, ascendia uma vela e punham uma cesta encima, Depois rapidamente apagavam a vela e abriam as portas; não sabiam por que faziam isso - e guardavam o segredo dessa "tradição familiar". Segundo o Sam Cohon, explicaram a ela detalhadamente o simbolismo e o ritual do Sábato e ela de ai em diante, passou a participar do Shabat com a família. Creio que essa moça retornou as raízes.

Outro mito, difundido no Brasil, é que todos os "Degredados" eram Bandidos. Creio que se tornaram bandidos no Brasil/Brasília... Posto que a grande maioria deles fosse degredada por razoes politicas e religiosas. Por que temos tantos: Silva, Silveira, Siqueira, Pinho, Pera, Pinheiro, Carvalho, Serra, Ferro, Diamante, Rubim, Rubi, Cruz, Cão, Perez (direto de “Peretz”, rocha em Hebreu), Peres, Rocha, Pedreira, Pedrosa, Pedra, Simão, Simões, Leão, Lima, Limeira, Lobo, Lobão (não queria dizer esse) e o por ai vai? Isso sem contar os nomes que no Sul, especialmente em SC e RS, persistentemente seus detentores quase que brigam para serem identificados como “Alemães”, Sim são os mesmos nomes que aqui nos EUA estão ate com ambas as Canelas enterradas na Sinagoga? Goldberg, Livi, Levy, Simon, Posso ate compreender o problema Judio-Carioca, de que muito entre nos somos descendentes das bravas e altaneiras “polacas”. Mas não me meto nesse tipo de “En Krenk” posto que, sinceramente, subscrevo a ideia de que numa bela genealogia deve ser sempre temperado com Ladrões de Cavalos, Piratas e Polacas. Retornando ao tema, creio que no Brasil ha muito mais sangue Judeu do que nos EUA. Tai ai, a minha contribuição de um “dime”, de uma pataca para o blog. Shabat Shalom para todos. SdM

Comentário de Marcelo Barzilai em 20 maio 2012 às 10:20
Comentário de roberto carvalho em 17 março 2012 às 17:53

devemos mostrar a nós mesmos as nossas origens e raizes, vive-las intensamente e plenamente e, nosso retorno é principalmente o retorno espiritual, haja vista, que os ortodoxos e ultra-ortodoxos nos repudiam, descriminam. Vamos nos manter unidos mesmo que através de uma maquina e o tempo no levará e nos dirá o que fazer.

shalom

Comentário de Marcos Moreira da silva em 30 dezembro 2011 às 10:51

Manifestação mundial Anussita

26 abril 2012

Neste dia o movimento nacional benei Anussim fará manifestação em todos os lugares onde existe concentração de Anussitas, uma manifestação para mostrar ao mundo judaico e secular nossa existência e reivindicar o retorno a religião e povo de Israel.

  Nossa iniciativa, e para mostramos ao mundo que e possível nos mobilizar em prol de uma causa justa, de herança histórica, genética uma herança cultural, a prova viva da imortalidade de Israel.

 Queremos que nos irmão se mobilizem em siti de relacionamentos com Orkut,feicebok e outros para manifestarmos neste dia em toda parte ,com faixas e cartazes,assinatura publica e entregarmos junto as autoridades de Israel pelo consulado.

Onde houver comunidades os lideres devem enviar carta comunicado, a jornais e revistas  vamos fazer sem bagunça o maior barulho possível,ou seja estaremos em grande numero para marcar este momento único de defesa de no fé cultura e religião.

Aqui em são Paulo nos organizaremos um pequeno seminário no período da tarde para apresentarmos possível solução política religiosa, com a presença de vários convidados nacional e internacionais.

 

Comentário de roberto carvalho em 26 dezembro 2011 às 21:21

PENSO QUE ESTES ESTUDOS E INFORMAÇÕES SERÃO DE GRANDE UTILIDADE PARA SE ENTENDER E CONHECER A VERDADE SOBRE OS MARRANOS OU ANUSIN . PRECISAMOS LUTAR PELO NOSSO RECONHECIMENTO POIS TEMOS NOSSAS ORIGENS E RAIZES JUDAICAS E ISSO NINGUEM NOS TIRA. PODEM ATÉ NOS DISCRIMINAR OU NOS REJEITAR MAS TROCAR O SANGUE QUE CORRE EM NOSSAS VEIAS ISSO ELES NÃO CONUNCANSEGUIRÃO

Comentário de Elias Salgado em 18 fevereiro 2011 às 3:53

Marcelo, bom dia.

Parabéns pela brilhante iniciativa de criação de um grupo dedicado a cultura sefaradi

Não sei se vc. conhece o trabalho q. eu e meu irmão David vimos realizando há vários anos - o projeto Amazônia Judaica: um site, dois blogs, um arquivo histórico digital e a Revista Amazônia Judaica, cuja próxima edição é sobre Pessach.

Gostaria mt. de contar com sua colaboração neste projeto, assim como me disponho a fazer o possível para ajudá-lo no espaço aqui criado por vc.

Abs.

Elias

 
 
 

© 2018   Criado por Jayme Fucs Bar.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço